• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Por que não eu? (Confissões de uma mãe de cachorro que perdeu o controle sobre sua vida)

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 30 de novembro de 2010
    Sabe aquele tipo de gente que não consegue contrair dívidas se sabe que não tem condições para pagá-las e que corre de compras a prazo e prestações mil? Sou uma delas. Pode ser pelo fato de eu nunca ter tido dinheiro sobrando, de ter crescido vendo meu pai dizer que estava “no vermelho” ou talvez seja simplesmente uma característica pessoal. Dá pra botar a culpa até nos astros, já que sou uma capricorniana das mais típicas…
    Por saber o quanto custa ganhar dinheiro, tenho um respeito imenso por ele e por tudo que pode significar na vida de alguém, para o bem ou para o mal. Então, quando vejo alguém afundado em dívidas que ainda assim não consegue se controlar e só as contrai mais e mais (seja pelo motivo que for) mesmo quando poderia evitá-las, juro que fico aflita e prometo a mim mesma em silêncio continuar sem me colocar nesse tipo de situação…

    Só que este foi o ano em que mais uma vez aprendi que muitas vezes o que criticamos no próximo está dentro – ou muito perto – de nós e vi que, ainda que de maneira diferente, eu havia perdido totalmente o controle. Por conta do blog e de seus desdobramentos todos (coluna semanal no jornal Notícias do Dia, colunas no site e na Revista do Clube do Champanhe, perfil e comunidades no Orkut, conta no Twitter, perfil e página no Facebook, e-mails de leitores com dúvidas a responder etc.) aos poucos fui me afundando na falta de controle e não são raras as noites em que durmo bem menos de 6h horas e todo dia é dia de trabalho agora, sem férias, fins de semanas ou feriados. Bobeou, estou na net postando, estudando, interagindo com os leitores, pesquisando, esteja onde e com quem estiver…
    Com isso, só agora, 1 ano e meio depois de largar o emprego para viver de economias e da venda de camisetas e canecas para ter mais tempo para me dedicar ao blog e todo o resto sem sequer questionar a decisão e pensar que estivesse fazendo uma loucura, foi que me dei conta de que, à minha maneira, perdi o controle da minha vida. Quase não vejo mais meu pai, embora há pouco ele tenha descoberto que está com câncer de próstata. Aqui em casa ele já disse que não vem mais porque não saio do computador… O marido tem sido bonzinho a ponto de chegar em casa e ainda fazer o almoço (e a janta) e arrumar a cozinha, muitas vezes botando o prato de comida entre a tela do computador e o teclado, já que não paro nem quando ele diz “Tá na mesa“… “Já vou” é a frase que mais uso em casa, depois vem “Tô terminando” e “Só mais um pouquinho“. Os amigos de verdade já entenderam o sumiço, os nem tanto já ficaram pelo caminho (bem… tudo tem seu lado bom)… A sorte do Shoyo é ter 3kg e morar dentro de casa, ou com certeza até ele não estaria me vendo muito…

    Por mais que eu não tenha o quintal apinhado de animais resgatados e não deva mundos e fundos em hospedagens, agropecuárias e clínicas veterinárias (como muitos esperam que eu agisse pra poder dizer que faço algo pelos peludos), posso dizer que meu trabalho de educação relacionado a cães e gatos tomou proporções tão grandes e descontroladas que estou correndo o sério risco de perder não só pessoas que amo e que são fundamentais em minha vida, mas minha saúde. E isso me coloca exatamente onde? Ironia da vida! No ponto que tanto critico: devemos ajudar ao próximo, seja ele quem for, apenas na medida em que o auxílio nos mantém bem o suficiente para que possamos ajudar mais e mais. Quem diria, hein? Mas não tenho vergonha de admitir o erro e agora é correr atrás do prejuízo e tratar de mudar o que já passou do impraticável… Afinal, por que não comigo? Por que não eu? Acaso sou melhor do que alguém? Ficam aqui registradas minha compulsão e falta de controle pra mostrar que não! A diferença estará em como lidarei com isto, se me afundarei mais e mais como faz quem várias vezes critico sem me enxergar parecida, ou se aprenderei lições valiosas e farei disso tudo um período de aprendizagem que ainda poderá ajudar alguns (ou vários) de vocês, leitoras e leitores queridos que me acompanham… Sem pudores digo: esta sou eu, cheia de falhas, mas com coragem suficiente para confessar e assumir. E “bora lá” cuidar da vida e tomar vergonha na cara para mudar e melhorar, que por baixo dessa ponte ainda quero fazer passar muita água!

    Portanto, meus amores, pretendo começar a retomar as rédeas da minha vida e criar uma rotina onde eu consiga encaixar tudo que faço e mais cuidados com a saúde, a família, o Shoyo e a casa.
    Graças aos céus tenho uma novidade vindo por aí que me permitirá não parar simplesmente TUDO que diz respeito ao Mãe de Cachorro e meu trabalho de educação e conscientização, mas ainda assim precisarei me organizar de maneira a não me afundar mais e mais no trabalho e na compulsão de maneira a, daqui a pouco, estar a 7 palmos abaixo da terra ;-D
    Categoria: Câncer, Mãe de Cachorro
    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    14 Comentários:

    1. Priscila disse:

      4 de dezembro de 2010 às 14:37

      Minha amiga querida!!! Entendo perfeitamente palavra por palavra tua escrita aqui e fico feliz por pelo menos vc ter consciência de q o excesso é prejudicial… tudo tem um limite, porém qd amamos o q fazemos, muitas vezes estrapolamos, simplesmente pq é mais forte do q nós… te admiro e te quero bem… até pq quero continuar comendo pizza e rindo um pouco "das desgraças da vida"…
      bjuxx
      Pri

    2. Ana Corina disse:

      4 de dezembro de 2010 às 13:30

      Meninas,
      Com vocês não preciso me preocupar por não ter dinheiro pra terapia, hehehe, vocês fazem comigo de graça!

      MUITO, MUITO, MUITO obrigada, vou deixar uma aba com os comentários abertos aqui pra eu ler toda hora até entrarem na minha cabeça!

      Beijo IMENSO!

    3. Priscila Coelho – Adote, Não Compre! disse:

      3 de dezembro de 2010 às 19:17

      Não tem textinho de auto-ajuda aqui, só um conselho de quem já teve (por pouco mas impactante tempo) sem controle de sua vida também: rédeas nessa alma criativa multi-tarefa e com falsa impressão de super-heroína. Saiba os teus limites e ande dentro deles.

      Fácil falar, né? Até hoje estou aprendendo isso, saindo dos limites "só um pouquihno" e tomando na cabeça depois. Priorização é tudo na vida, ainda mais nessa vida web 2.0.

      Se te dessem uma baita grana prá atravessar uma ponte fininha de um penhasco, tu irias?

      E se tu tivesse que escolher entre a grana e o Shoyo, trocarias?

      E se dissessem: ou tu atravessa ou jogamos teu marido do penhasco, tu irias?

      As escolhas mudam qdo tem mais coisa de peso em jogo, né? Não deveria ser só assim prá pontes periogosas, mas prá qualquer coisa do dia-a-dia. É o dia-a-dia que vivemos 🙂

      ps.: essa historinha foi uma das grandes reflexões que fiz num curso da Powerself aqui no RS (Google it!). Adorei, recomendo, especialmente prá essa tua fase, se tu tiveres como fazer. Não sou de recomendar cursos, e esse é de um ensinamento for life.

      Força nessa peruca!

    4. Kátia disse:

      1 de dezembro de 2010 às 23:27

      Eu sempre me perguntei… Como ela consegue?

      Espero que encontre o caminho que te faça feliz e te dê equilíbrio.

      Veja o texto que meu marido me enviou certa vez, bjs.

      As cinco bolas

      Seguem-se alguns trechos da palestra de Brian Dyson, ex-presidente da Coca-cola, que aconteceu em conferência numa Universidade Americana, onde ele falou sobre a relação entre o trabalho e outros compromissos da vida.

      Imagine a vida como um jogo, no qual você faz malabarismo com cinco bolas que são lançadas no ar… Essas bolas são: o trabalho, a família, a saúde, os amigos e o espírito.

      O trabalho é a única bola de borracha. Se cair, bate no chão e volta para cima. Mas as quatro outras são de vidro.
      Se caírem no chão, quebrarão e ficarão permanentemente danificadas. Entendam isso e assim conseguirão o equilíbrio na vida.

      Como?

      Não diminuam o vosso próprio valor, comparando-se com outras pessoas. Somos todos diferentes. Cada um de nós é um ser especial.

      Não fixem os vossos objectivos com base no que os outros acham importante. Só vocês estão em condições de escolher o que é melhor para vocês próprios.

      Dêem valor e respeitem as coisas mais queridas aos vossos corações. Apeguem-se a elas como à própria vida. Sem elas, a vida carece de sentido.

      Não deixem que a vida escorra entre os dedos por viverem no passado ou no futuro. Se viverem um dia de cada vez, viverão todos os dias das vossas vidas.

      Não desistam quando ainda são capazes de um esforço a mais. Nada termina até ao momento em que se deixa de tentar.

      Não temam admitir que não são perfeitos.

      Não temam enfrentar riscos. É correndo riscos que aprendemos a ser corajosos.

      Não excluam o amor das vossas vidas dizendo que não se pode encontrá-lo. A melhor forma de receber amor é dá-lo. A forma mais rápida de ficar sem amor é apegar-se demasiado a si próprio. A melhor forma de manter o amor é dar-lhe asas.

      Não corram tanto pela vida a ponto de esquecerem onde estiveram e para onde vão.

      Não tenham medo de aprender. O conhecimento é leve. É um tesouro que se carrega facilmente.

      Não usem, imprudentemente, o tempo ou as palavras. Não se podem recuperar. A vida não é uma corrida, mas sim uma viagem que deve ser desfrutada a cada passo. Lembrem-se: Ontem é história; amanhã é mistério e hoje é uma dádiva.
      Por isso se chama presente!”

    5. Gladis Helena disse:

      1 de dezembro de 2010 às 18:24

      Ana,
      a busca do equlíbrio é algo realmente difícil mas creio que possível.
      Acredito na tua vontade de repensar e mudar oq precisa ser mudado. Segue uma msg bem pertinente.
      ORAÇÃO DA SERENIDADE

      "Concedei-me, Senhor, a serenidade necessária para aceitar as coisas que não posso modificar, coragem para modificar aquelas que posso e sabedoria para distinguir umas das outras".

      Esta Oração me tem proporcionado uma nova vida.

      1. ACEITAR AS COISAS QUE NÃO POSSO MODIFICAR:

      São muitas as coisas que não posso modificar; o passado, o futuro e nem outras pessoas.

      Preciso aceitar o fato de que posso ser atencioso e bondoso com meus familiares, porém não mais tempo do que se lhes esta reservado estar aqui na Terra. A perda de amigos deve ser aceita como se eles tivessem se mudado para muitas milhas de distância.

      Eu não posso modificar as pessoas, elas continuarão fazendo as coisas à sua maneira, apesar de que eu tente dizer-lhes, muitas vezes, qual é a melhor forma…(A MINHA). A quem posso eu mudar? A MIM MESMO.

      2. CORAGEM PARA MUDAR AQUELES QUE POSSO:

      Isto é, mudar minha maneira de ser.

      O Senhor! permita que eu mude os meus sentimentos em relação aos outros. Ao invés de criticá-los, devo aceitá-los como eles são e estar interessado em seus problemas, ao invés de ignora-los. devo ser afetuoso com os outros, ao invés de mostrar-me frio e insensível.

      Permita-me Senhor, que eu mude minhas emoções, colocando esperança, amor, coragem, paz e alegria em minha vida, em lugar de amargura, temor, desgosto, ódio e ressentimento. Todas estas coisas eu posso modificar, se for suficientemente inteligente para reconhecer a necessidade de fazê-lo.

      3. SABEDORIA PARA DISTINGUIR UMAS DAS OUTRAS:

      Se vejo coisas de que não gosto, é hora, é hora de examinar a MIM MESMO: minhas atitudes, minhas reações e reconhecer se necessito mudar algumas delas.

      Examinaremos uma vez, outra e mais outras, antes de criticar os outros. Compreendo que minha vida está intimamente ligada a outras vidas, mas estou tendo sabedoria suficiente para entender que não posso mudar os outros, mas posso mudar, minha maneira de pensar, atuar e reagir. Então, a resposta à minha Oração é DEVO E POSSO MUDAR SOMENTE A MIM MESMO.

      bjs e estamos por aqui,qdo puder apareça.

    6. Dani Guimarães disse:

      1 de dezembro de 2010 às 12:45

      Ana identificar o problema já um passo importante. Organizar a vida promete ser um passo mais fácil pois quando não enchergamos nem sabemos pra onde estamos indo. Boa sorte nesta nova fase!

      Bjinhos,
      Dani Guimarães
      Mãe da Fridoca
      —————-
      Blog Meu Cão Minha Cara
      http://meucaominhacara.blogspot.com

    7. Ana Corina disse:

      1 de dezembro de 2010 às 11:56

      Obrigada, meu amigo querido. Mas a menos que você venha aqui me tirar à força da frente do computador, acho que não tens muito o que fazer a não ser me dar muitas broncas pra eu tomar jeito, hehehe. Beijão.

    8. gilvas disse:

      1 de dezembro de 2010 às 10:04

      guria, eu estou atolado, embora não na mesma dimensão que tu, mas, pou, qualquer coisa, dá um berro! 🙂

    9. Ana Corina disse:

      30 de novembro de 2010 às 23:10

      Oi pessoas queridas,
      super obrigada pelo carinho, é revigorante!

      Gi, o blog em si até não me toma tanto tempo, sabia? O que mais dá trabalho é responder aos e-mails dos leitores, com dúvidas tão variadas que não dá nem pra eu fazer um "perguntas frequentes" pra escapar de responder.

      Mas também tem gente que abusa, perguntam coisas que achariam fácil no Google. Estas acho que vou começar a só responder "pergunte ao tio Google", que tal? hehehe

      E quanto a cada minuto ser o último você está cobertíssima de razão, mas a vida vai acontecendo e eu acabo deixando pra depois…

      Beijocas a TODOS e mais uma vez, obrigada.

    10. Emmanuelle disse:

      30 de novembro de 2010 às 21:14

      Ana querida,

      Excelente post!! Tens muita razão! É tão perfeita no que faz, tão dedicada a manter os leitores do seu site Super-Mega-Power bem informados que acaba deixando a vida pessoal de lado e com isso a sua saúde tbém.
      Desejo muito equilíbrio, e Luz para conseguir tocar os dois lados de sua vida!
      Pois sucesso vc já tem muito! Saiba que seu trabalho é muito valioso e que ajuda a centenas/milhares de pessoas em todo canto do mundo com as informações que disponibiliza!

    11. Ariana e Raphael disse:

      30 de novembro de 2010 às 17:46

      Flor, cuidado para não perder os que vc ama, pq a viida é curta, temos que aprender a medida ideal de nosso tempo…legal vc ter compartilhando com nós a sua imperfeição… quem-dera todos tivessem essa sensibilidade, o mundo seria muito mais sincero rs
      Boa Sorte na procura da sua rotina ideal…
      Bjos

    12. Gigi e Lola disse:

      30 de novembro de 2010 às 17:17

      Oi Ana, nossa, cansei só de ler, mas uma coisa eu falo de todo o coração, dê mais atenção a você, a sua família, pois hoje eu vejo que cada minuto diante deles é especial e pode ser o último, se pudesse voltar no tempo com certeza daria muito mais valor ao meu pai…
      Pense nisso, pois a gente está aqui sempre, mesmo que demore, 1, 2, 3…dias para você atualizar sempre estaremos esperando anciosas!!!

      Beijinhos Gigi e Lambeijokas Lola

    13. Heidi Ponge disse:

      30 de novembro de 2010 às 11:09

      Assumir-se imperfeita é a verdadeira perfeição feminina.
      Somos as "Amélias" do mundo moderno.
      Geramos renda, empregos, educação, transformação.
      Cuidamos, fazemos de tudo(ou quase) e ainda participamos de comunidades virtuais. Chega uma hora que precisamos administrar os tempos e prioridades, só… isso!
      A solução é simples afinal, amiga.
      Bem vinda ao grupo das inconformadas.

    14. Fowler T Braga Filho disse:

      30 de novembro de 2010 às 10:49

      Parabéns ! Que ache seu caminho melhor…

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados