• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Guia de Raças no Mãe de Cachorro: Border Collie

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 14 de outubro de 2010
    –> Quer conhecer o verdadeiro temperamento de outras raças disponíveis para adoção?  Confira o Guia de Raças Mãe de Cachorro clicando aqui.
    Raça de hoje: Border Collie – o workaholic
    Texto: Michele Welton  
    Tradução: Ana Corina – Todos os direitos reservados. A reprodução é expressamente proibida.
    Temperamento – O que é bom e o que é ruim sobre eles
    Este cão de trabalho na fazenda é famoso por seu “olhar intimidador” – um olhar fixo e hipnótico que ele lança enquanto agacha e aproxima-se arrastando das ovelhas. Uma das raças mais inteligentes de todas, o Border Collie também é uma das mais desafiadoras para se conviver. Seu inteligência superior, combinada com seu intenso e obsessivo entusiasmo por trabalho são suas características mais marcantes – e também as que o fazem inadequado para a maioria dos lares.
    Este cão de olhar aguçado, pensamento rápido e fanático por trabalho tem sido criado para percorrer espaços infinitos com corridas de curta distância e muita ação “pare & siga”. Se não for possível que ele pastoreie, você deve substituir a atividade por treinos avançados de obediência, agility, corrida, busca de bolas e jogos com frisbees – muitas e muitas e muitas oportunidades de todos eles.
    Sem estímulos mentais e físicos os Border Collies tornam-se hiperativos e deixarão você louco com seu comportamento obsessivo e destruidor enquanto procuram por saídas criativas para gastar sua energia física e mental. Cães muito inteligentes podem até aprender tudo rapidamente, mas isto incluiu aprender como fazer tudo – e qualquer coisa – que desejem. Border Collies são mestres em fugas e podem abrir magicamente o cadeado no seu portão.
    Tentar treinar um Border Collie, na verdade, pode ser algo frustrante porque eles estão constantemente pensando, analisando e reagindo a qualquer mínimo movimento que você faz. Eles podem sofrer de irritabilidade e hipersensibilidade a sons e toque (imaginem um pobre Border Collie em meio a crianças ávidas por contato físico!).
    Border Collies são pastores ávidos de carros, bicicletas, pessoas praticando corrida, gatos, outros cães, gatos, animais silvestres e crianças correndo pra lá e pra cá – interagindo com quem não coopera com o seu “pastoreio” através de cutucadas, empurrões e mordidinhas no membro “desgarrado do rebanho” (preciso dizer que este comportamento deve matar/ferir vários Border Collies “de cidade” por atropelamento?).
    Você deve estar sempre um passo adiante ao lidar com esta raça desafiadora e a maior parte das famílias urbanas simplesmente não está pronta para o desafio. [Ou seja: pessoas não corram a comprar ou até mesmo adotar o cão da moda! Ele é lindo? É. Ele é inteligente? É. Mas a menos que você more em uma fazenda/sítio/propriedade gigante e que que tenha rebanhos para ele trabalhar cuidando, o Border Collie não é para você!]*
    *Nota desesperada da tradutora
    Se você quer um cão que…
    • Tenha tamanho médio e uma aparência natural (quem nunca achou o Border Collie com a maior pinta de “vira-latas” está mentindo, sejamos francos!)
    • Tenha uma pelagem bonita e de fácil manutenção
    • Seja muito atlético e adore TONELADAS de exercício e treinamento
    • Seja excepcionalmente versátil e inteligente – quando bem treinado pode ser ensinado a fazer praticamente qualquer coisa
    • Goste de brincar de buscar coisas por horas e horas (e horas e horas e horas…)
    Um Border Collie pode ser bom para você.

    Se você não quer lidar com…

    • Um atleta intenso que pode deixar você maluco com comportamentos obsessivos e destrutivos se você não providenciar muito exercício e saídas criativas para que ele gaste sua imensa energia
    • Comportamento compulsivo de caçada/pastoreio e mordidinhas direcionados a qualquer coisa que se mexa: crianças, pessoas praticando corrida, outros animais, bicicletas, carros etc.
    • Ansiedade de separação (expressada através de destruição e latidos excessivos) ao ser deixado sozinho por muito tempo
    • Timidez se não for socializado de maneira intensa e correta
    • Troca de pelo
    Um Border Collie pode NÃO ser bom para você.
    Se você está pensando em adotar um Border Collie… Considere as questões abaixo seriamente.
    1- Providenciar exercício e estímulos mentais suficientes. Border Collies DEVEM ter oportunidades frequentes de gastar sua energia e de usar suas mentes ágeis fazendo coisas interessantes. Ou se transformarão em cães barulhentos, impetuosos e entediados – o que eles geralmente demonstrarão a você através de latidos em excesso e comportamento destrutivo. Border Collies entediados são famosos por roer paredes, destruir sofás e transformar quintais em paisagens lunares cheias de crateras gigantes.
    Se você simplesmente quer um cão de estimação e não tem tempo/disciplina/persistência /disposição para levá-lo cão para correr/escalar/nadar/fazer trilhas ou para se envolver em treinamentos intensos de agility, de obediência avançada ou de busca de objetos ou para envolvê-lo em outras atividades caninas semelhantes, eu não recomendo um Border Collie.
    2- Border Collies nunca devem ser apenas cães de estimação. Seu comportamento obsessivo de trabalho (caçar/pastorear/cutucar com o focinho/latir/mordiscar) é inapropriado para um ambiente familiar normal. Tentar reprimir este comportamento intrínseco a eles sem providenciar alternativas criativas par que gastem seu alto nível de energia é praticamente impossível.
    3- Comportamento compulsivo de pastoreio e caça. A maioria dos Border Collies é obcecada  por perseguir/pastorear qualquer coisa que se mova – de crianças e esportistas a outros animais e bicicletas, carros, motos… Alguns Border Collies, infelizmente, vão um pouco além e matam animais pequenos, incluindo gatos.
    4- Ansiedade de separação. Mais do que a maioria das outras raças, o Border Collie precisa de muita companhia e não gosta de ser deixado sozinho por mais do que poucas horas. Eles tendem a expressar sua tristeza através de um comportamento destrutivo e latindo em excesso.
    5- Providencie bastante socialização. Reservados por natureza, Border Collies precisam de uma imensa exposição a pessoas e lugares e sons incomuns. Caso contrário, sua cautela natural pode ser transformar em timidez e desconfiança, duas características difíceis de se conviver com.
    Problemas de adestramento. O Border Collie é uma das raças mais inteligentes e capazes do mundo. Muitos são ávidos para agradar e aprendem muito, muito rápido. Mas muitos são extremamente difíceis de ser treinados por pessoas comuns.
    Alguns são manipuladores e usarão sua para conseguir que VOCÊ faça o que ELES querem;
    Alguns são teimosos e dominantes e farão você provar que merece comandá-los;
    Vários são super sensíveis, então se você os corrigir de maneira brusca, podem congelar e se reprimir;
    Finalmente, muitos Border Collies são frustrantes de se treinar porque são hiperativos e reagem a qualquer mínimo som ou movimento que você faça. Costumam se antecipar e tentam adivinhar os comandos que você dará em seguida, então sentarão, deitarão, virão até você^ou correrão de você (como para ir buscar algo) à menor menção de você abrir a boca ou levantar a mão. Geralmente é preciso ser um educador canino experiente para obter o melhor da genialidade desta raça.
    6- Segurança. Muitos Borders são artistas na arte de escapar com estes cães as cercas devem ser altas, com ferros enterrados abaixo da terra abaixo para evitar que escapem cavando. Cadeados, fechaduras e trancas devem ser super seguros porque Border Collies espertos podem sumir com eles.
    Honestamente, a maior parte dos Border Collies é “cão demais” para o tutor/família comum. Esta é uma raça seriamente de trabalho e possui uma personalidade complexa. Poucos lares podem prover a eles o que realmente precisam para estar satisfeitos e felizess.
    Adote um Border Collie adulto!
    Quando você adota um filhote, você está adquirindo potencial do que ele um dia pode se tornar.  Mas quando você adota um cão adulto, você está adquirindo o que ele já é e pode decidir se é o melhor cão para você baseado em sua rotina e realidade. Há vários Border Collie adultos que já provaram não ter as características negativas típicas da raça. Se você encontrar um cão assim, não deixe que elas preocupem você. Fique feliz que você encontrou um indivíduo atípico e aproveite!
    Salve uma vida. Adote um cão.

    *Lembrando: Estou traduzindo as descrições de temperamento das raças (que já vi disponíveis para adoção) apresentadas pela autora norte-americana Michele Welton, que obviamente leva em conta que a maior parte de seus leitores mora nos EUA e sempre tendo em mente cães dentro do padrão comportamental de cada raça. Não adianta um cão ter “cara” de uma raça, isso nem é tão difícil, um cão realmente “de raça definida” tem, mais do que qualquer outra coisa, a personalidade, o comportamento e os instintos da raça a que pertence.
    Sobre a autora: Michele Welton tem mais de 35 anos de experiência como educadora canina e tem mais de 17 livros publicados, sendo 15 deles sobre cães.
    Categoria: Adoção, Ansiedade por separação, Guia de Raças
    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    37 Comentários:

    1. Adriana Borim disse:

      21 de março de 2014 às 15:57

      Olá tenho BC em minha casa concordo com algumas das atitudes dita acima, mas também descordo de algumas, o meu BC é um animal muito brincalhão e obediente, adora brincar com sua bolinha, também resolvi o problema dele de ficar sozinho o dia inteiro comprando uma coelha assim ele brinca de correr atrás, e os dois se dão muito bem,Tenho próximo de minha casa uma coxeira lá tem o cavalo do meu marido e é o lugar preferido Do Marley ir ele adora pois é bem grande o local e tem também galinhas. Afinal é BC é o melhor cão para se ter ( Marley meu meninão)

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        21 de março de 2014 às 18:31

        Oi Adriana, cada animal é único 🙂 Nenhum terá todas as qualidades nem todos os defeitos, bjo.

    2. Fernando disse:

      15 de março de 2014 às 00:09

      Olá pessoal!
      Tenho uma border collie que acaba de completar 7 meses. Confesso que se tivesse lido este texto antes, provavelmente não teria pego um cão dessa raça. Felizmente, a minha cachorra é a melhor experiência que já tive com cachorros. A conexão que tenho com ela é algo que talvez não tenha com muita gente. Ela é alegre, divertida, extremamente carinhosa e companheira, muito inteligente e muito, muito obediente. Não sou nenhum treinador profissional, mas ela entende e atende a todos os meus comandos. Não moro em uma casa com o quintal gigante, mas ela nunca destruiu nada dentro de casa. Brinco bastante com ela no quintal e sim, é uma raça incansável. Se você jogar a bolinha mil vezes, mil vezes ela vai buscar e lhe devolver a bolinha. Na rua, realmente ela tenta “pastorear” muitas das coisas que vê, como motos (ama) e esportistas.
      O que quero dizer é: eu não tenho um terreno gigante, não moro em sítio ou fazenda e muito menos peguei a raça por “modinha”, mas a minha cachorra não dá nenhum dos problemas citados acima. É extremamente dócil, amável, companheira e “controlada”. É um ser incrível e admirável. É a melhor coisa que já me aconteceu.
      Penso que fazer o máximo para dar a raça o que lhe é de natureza, é importante, mas acima de qualquer coisa, dar a ele o amor sincero, muita compreensão e educação, é o que vai definir de fato a personalidade do seu amigo. Se você acha que é capaz de lhe dar isso, então eu indico o border collie.

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        21 de março de 2014 às 13:43

        Oi Fernando, que legal que você a trata como ela PRECISA e que não a pegou por “moda”. Mas de qualquer maneira, o blog é lido por todo tipo de pessoa e o Guia de Raças é feito para ajudar até mesmo as protetoras a doar cães de acordo com o temperamento, a realidade, a rotina das pessoas etc., entende? VOCÊ pode estar fazendo tudo como um border precisa e merece, mas a realidade está aí: muitos são abandonados ou sofrem toda sorte de maus-tratos pq as pessoas ignoram como eles são. Abraço pra vocês!

    3. Paulo Henrique disse:

      21 de fevereiro de 2014 às 13:38

      Ganhei um Border Collie da minha namorada, ele tem dois meses e é brincalhão e nao gosta de ficar sozinho. Já li muitas coisas a respeito da raça e suas peculiaridades mas nunca um artigo que me assustasse tanto. Moro no interior no segundo andar de uma casa achei que passeando e brincando com ele fora de casa de manhã e a noite seria suficiente para a felicidade dele, mas esse artigo me deixou com medo. Gostaria de saber se terei tantos problemas assim. não quero maltratar ele de jeito nenhum.

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        27 de fevereiro de 2014 às 11:45

        Oi Paulo, não fique assim. Dê a ele bastante exercício e respeite o que ele é> um cão de trabalho. E outra, vai saber a linhagem dele, vai saber o quão “puro” é, então tem chance dele ter a aparência de Border, mas ter temperamento diferente, mais tranquilo. Agora, não dá pra mentir, é uma raça de pastoreio, um cão que precisa de estímulos físicos e mentais para estar bem. Boa sorte pra vocês, vai dar tudo certo =D

        • Paulo Henrique disse:

          27 de fevereiro de 2014 às 11:49

          Obrigado Ana, eu to me apegando a ele, mesmo ele sendo um bagunceiro :).

    4. Marise de Paula disse:

      27 de janeiro de 2014 às 19:45

      Olá! Temos um Border Collie de 3 meses de idade. Ele é adorável, inteligente, alegre… Gostaria que me dessem uma dica de como ensiná-lo a não morder a nossa mão.
      Quando jogamos a bolinha e pedimos para buscá-la ele volta com ela mas não quer soltar. Se puxamos de sua boca ele solta a bola e morde a nossa mão. Alguém pode nos ajudar?
      Obrigada!

    5. Jéssica Aline de Almeida disse:

      13 de janeiro de 2014 às 17:58

      Adorei o texto, muito esclarecedor mesmo… só tenho uma dúvida…é possível ter um border e um gato se ambos conviverem juntos desde filhote? amo a raça, mas não gostaria de abrir mão de ter um gato também. Desde já, obrigada!!

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        14 de janeiro de 2014 às 10:18

        Oi Jéssica, é sim, mas você viu que a raça não é fácil, né? É um cão que precisa de MUITO exercício direcionado, por ser um animal de trabalho, não um pet. Não há como garantir que dois indivíduos vão se gostar, nem com pessoas temos como, né? Mas a tendência é que cresçam juntos e amigos, claro.

      • Byanca Meirelles disse:

        14 de janeiro de 2014 às 13:06

        Jéssica, se vc estiver disposta a tudo com eles.. arrisque, mais ciente de que pode acontecer do cão não gostar do gato, ou o contrário do gato não gostar do cão!!
        Conheço algumas pessoas que possuem Border Collie junto com um gato.. mais não é fácil, pense bem se é isso mesmo que vc quer.. ou um ou outro !!
        Border Collie é um cão de trabalho, que infelizmente tem tido muita fama.. e muitas pessoas adquirem um por ser lindo e inteligente.. mais não pensam o quanto o cão dessa raça é hiperativo e NECESSITA trabalhar!! e aí vem os problemas de comportamentos, que hoje em dia está sendo muito comum ver esse mau comportamento nos Border Collies..
        Sair para passear, caminhar, correr e brincar de bolinha não basta!!
        Eles precisam de atividade mental tbm..
        Pense bem.. pois eu acho muito arriscado ter um gato e um cão ¨hiperativo, que tenha instinto de pastoreio¨ juntos em casa..
        Eu acho muito arriscado.. eu tenho uma Border Collie, atualmente com 4 anos.. e tbm uma calopsita, ambas não cresceram juntas!!!
        Mais se deram muito bem..
        Se vc souber lidar com ambos, pode ser que consiga uma convivência boa entre os dois.. mais como disse! eu acho arriscado de mais :\
        Bjss

    6. Carolina masaki disse:

      29 de dezembro de 2013 às 20:59

      Olá pessoal, queria muito a ajuda de vocês, tenho uma border collie de 1 ano e 3 meses, amo ela mas sinto que ela tem ficado tempo demais sozinha e ela tem ficado ansiosa. Antes meu trabalho me permitia passar quase todas as tardes em casa, mas agora terei que passar os proximos dois meses sem passar as tardes em casa. Faço muito exercicio com ela mas ainda assim acho que ela passa tempo demais sozinha. Vocês acham que adotar um outro border collie para lhe fazer companhia durante o dia seria uma solução? Obrigada!!!

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        30 de dezembro de 2013 às 16:12

        PELAMOR, vais adotar OUTRO cão que precisa de tanto exercício? Por favor, NÃO! Se são só dois meses, pague alguém pra sair com ela, deixe-a na casa de alguém, pague creche, deixe-a com brinquedos que soltam alimentos aos poucos etc. Não recomendo a adoção de animal nenhum por este motivo. E não necessariamente eles brincarão etc., sabe? Melhor distraí-la e cansá-la de outras maneiras.

    7. Daniele Garcia disse:

      2 de julho de 2013 às 12:36

      Somos tutores de duas border-collies lindas ( mestiças, mas cruzamentos de um border legítimo). Elas são excelentes, bem comportadas, inteligentes pra caramba, extremamente dóceis, adoram contato físico, brincam o tempo todo, toleram momentos em que não estamos presentes e momentos em que não podemos sair com elas. Receita: lemos livros de adestramento, brincamos muito com elas, educamos a não morder e as deixamos rodeadas de brinquedos de borracha e bolinhas, que elas adoram. É possível, sim, lidar com a raça, não sei se por serem mestiças, mas é possível criá-las, sim. O border legítimo, que veio aqui cruzar com a mãe em 2005 gostou tanto daqui que depois que foi embora uma semana depois, ficou com depressão ( nunca tinha ouvido falar disso) e a dona teve que levá-lo em um veterinário especializado nesse tipo de problema. Outro segredo: tenha sempre dois, porque um faz companhia para o outro e são muito colaboradores (trabalham entre si, cuidam um do outro). E tenha um quintalzinho. Ele não gosta de ficar dentro de casa, só para visitinhas aos donos, rsrs. Ele tem que sentir que cumpre uma função na casa. As minhas fêmeas, mãe e filha ( porque perdi uma das filhas com câncer no figado há pouco tempo, com 7 aninhos de idade) é de “proteger” a casa. Elas dão alarde quando ouvem um barulho diferente, avisam quando estamos chegando há uma rua de distância(!!!) e se dividem em espaços distintos no quintal, pelo que observo. Enfim, é uma raça super possível, adulto ou filhote, porque assim como nós, os animais se educam, com maior ou menor facilidade, em todo novo ambiente que forem inseridos. Basta usar os estímulos e interferências adequados. Um grande abraço!

    8. Jacqueline Reis disse:

      18 de junho de 2013 às 16:58

      Gente, eu tenho uma Border… ela é linda [de parar o transito]!!! =)
      Tem 7 meses.. faz adestramento pra comportamento. Só entra em casa se eu autorizar, sabe sentar, “ficar”, “esperar” …. Dentro de casa, não deixamos ela subir no tapete e ela só precisou ouvir a palavra “não” duas vezes pra entender isso. Ela pode vir correndo, quando chega na ponta do tapete ela para. Ama bolinhas, água, paredes, madeiras…rs Agora ela entrou na “puberdade” e… começou a dar mais trabalho. [ficou teimosa]

      Sou tenho uma dúvida.. a minha Fanny NÃO costuma latir [só quando estou usando a batedeira, secador… eletrodomesticos q façam barulho]… mas..ela chora com um “fungado” constante… brinco dizendo q ela engoliu algum apito, pq..é tão agudo e constante q… é estranho.

      Nunca li nada sobre isso… alguém pode me ajudar?

    9. Mariangela de Aguiar disse:

      12 de março de 2013 às 10:57

      Eu tenho uma Border Collie linda e fofa que agora em março de 2013 faz 3 anos, quando era filhote ela era bem destrutiva, mas qualquer filhote é assim não? sapatos roupas intimas móveis etc… rs tem que exercitar a mordida.
      Hoje ela é minha melhor companheira, durante o dia ela gosta de latir para as aves que passam voando, é bem ativa durante o dia, também gosta de ficar junto, quando estou em casa, já a noite até ronca, adora dormir na cama, mas não no pé, dorme com a cabeça no travesseiro como se fosse gente.
      Ela realmente não gosta quando eu saio, mas não late não, fica com cara de triste, um olhar bem penetrante, profundo, que diz que não queria ficar, queria ir junto…
      Meu quintal é grande e além disso passeio com ela umas 3 vezes por semana no sitio do meu avô com ela solta, sem a guia e ela corre muito.
      Brincadeiras com bolinha são diárias.
      Infelizmente ela já matou alguns passarinhos, pombinhas e gatos, esse é o único problema que tenho com ela.
      Ah adora bolas, como jogo tênis ela tem sempre bolinhas amarelas a vontade… além de bichinhos de pelúcia que ela adora pegar, tem o coelhinho, ursinho e ela sabe qual é qual, muito inteligente.
      Além da baleia (o nome da minha border) tenho mais duas vira-latas e em geral se dão bem.

    10. João Ismar disse:

      3 de março de 2013 às 17:55

      Galera, não sei se estou no lugar certo, mas estou com uma dúvida. Tenho um filhote de boder colie, o OTTO, ele tem mais de 3 meses, e está soltando muito pelo. Podemos ate perceber falhas na pelagem dele. Isso começou a mais ou menos 1 semana, antes os pelos não caíam assim. A próxima ida ao veterinário é daqui a 10 dias, é normal essa queda? devo leva´-lo imediatamente ao veterinário, ou é comum, sendo apenas uma troca, já que ele esta crescendo?

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        4 de março de 2013 às 15:15

        Queda com falhas não é normal, não. Ele foi vacinado recentemente? Pode ser reação à vacina.

    11. Kaio César disse:

      12 de fevereiro de 2013 às 10:02

      Ótimo documentário sobre os BC !!
      cada dia mais estou amando mais esta raça pelo que eu encontro na internet, e me alertando com os cuidados também, tanto que eu irei esperar uma oportunidade de mudar de casa para um local mais amplo, está chegando o tempo de faculdade, e os estudos irão me tirar muito tempo, realmente é um cão para quem não tem muitos cuidados.

    12. Taís Albina disse:

      23 de novembro de 2012 às 06:03

      Eu estou chocada e maravilhada com esse texto!

      Eu tenho um transtorno psiquiátrico chamado BORDERLINE. No meu caso é caracterizado por:
      1)Ansiedade em relação a idéia de ficar sozinha.
      2)Criatividade e inteligência acima do normal, que se não for usada vira comportamento de auto-mutilação ou destrutivo.
      3)Hipersensibilidade às ações das pessoas que me cercam.

      Alguma semelhança? rs

      Eu tive “necessidades especiais” e minha família também não estava preparada para lidar comigo. É muito engraçado pensar assim, mas eu me identifiquei completamente com esse texto. Já estava em vias de fechar o negócio com uma criadora que está vendendo filhotes na minha cidade e esse texto me deu a certeza plena de que é esse o cachorro que eu quero do meu lado, problemático e “border” como a dona!

      Na minha quadra tem um conjunto de pistas de skate com grades em volta. Creio que é nesse cenário que eu e o Tesla (meu futuro Border) vamos praticar o agility e a perseguição de frisbees e bolinhas. Foi bom ser alertada para a possível frustração dele com os gatos não atenderem ao seu transtorno obsessivo-compulsivo e ele acabar ferindo os bichanos, vou separá-los quando eu estiver fora.

      De grande ajuda, esse texto!

    13. Mara disse:

      5 de novembro de 2012 às 21:24

      Olá!! Adorei a Matéria,
      Amo MUITO essa raça sempre quis ter um… adoro tudo neles…

      Gostaria de pedir, se alguém tiver alguma informação de doação de um filhote dessa raça por favor, me avisem? Moro no Rio de Janeiro e meu e-mail: kagome-6@hotmail.com

      Grata!

    14. Byanca Meirelles disse:

      2 de outubro de 2012 às 14:35

      Ótima matéria, parabéns!!

      Muito não entendem o Border Collie, e acabam comprando por ser um cão muito bonito e conhecido no mundo pela sua inteligência.
      Mais quando o cão mostra as características dele, tem donos que ficam desesperados sem saber o que fazer.. e acabam doando e etc!!

      A pessoa que pretende ter um Border Collie, se ela não tiver uma casa bem grande com espaço pra ele correr bastante.. isso não é um problema!
      Existem escolinhas de Agility onde pode levar ele para que faça esse esporte que ele é conhecido como um dos mais ágeis.
      Se tiver uma quadra, campo ou praça perto de casa também é uma boa opção para brincar de jogar bolinha pra ele, jogar frisbee.. correr envolta da quadra junto com ele!
      No meu caso, eu moro em apartamento com ela..
      Quando morava-mos em BH todo sábado era dia de treino de pastoreio dela com Ovelhas.
      Domingo era dia de ir para o Haras, dia de lazer com a família.
      Daí nos mudamos para o RJ, muita coisa mudou na rotina dela..
      Antes de ir trabalhar 1h antes já estamos na rua caminhando rs, depois quando chego em casa é só o tempo de trocar de roupa e sair com ela pra quadra levando os frisbee´s e uma bolinha.
      Quando o tempo está chuvoso e não tem como sair, fico em casa com ela brincando, ensinando coisas a ela.
      E agora vamos fazer aulas de Agility.

    15. Luisa disse:

      24 de abril de 2012 às 16:19

      Eu não achei o site que se adota esses cachorros de raça.
      Eu gostaria muito de adotar um border.
      Me envia a resposta por email? obrigada.

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        24 de abril de 2012 às 23:48

        Não tem um site só pra isso. Vc deve procurar nos sites de adoção da sua cidade.

    16. Anonymous disse:

      5 de setembro de 2011 às 12:35

      Oi!!!

      Adorei o post e concordo com cada palavra.
      Eu tenho um a border collie que vive como PET. Mas meu quintal é ENORME! Ela fica o dia inteiro correndo atras de pombos e da minha Sheltie. Eles nao param NUNCA!
      Sao faceis de treinar, muito inteligentes. O que para uma pessoa inexperiente pode vir a ser um problema, pois o papel de treinador pode se inverter, e O BORDER acabar fazendo com que voce faça o que ele quer. Se nao tiver exercicios, sao bem destrutivos. Nao fazem por mal, mas procuram sempre alguma coisa pra fazer.
      Acredite que eles ficam 1h correndo atras de bola se voce jogar. Um passeiozinho de 15min em volta do quarteirao nao eh suficiente. Eles precisam exercitar o cérebro tambem.

      Portanto se voce pensa em adotar um border collie, pense BEM nas suas possibilidades para dar a ele tudo o que ele precisa. Assim, evita ser mais um caso dos muitos que ja vi de pessoas que adotam, e um, dois meses depois devolvem pois nao conseguiram "domar" o cachorro.

      Borders nao sao so isso, eles sao extremamente carinhosos, leais ao seu dono (escolhe um e o segue pra toda a vida), quando bem exercitados chegam a ser calmos. A minha ve tv comigo na cama numa boa sem fazer bagunça!
      Abs!

    17. Eliane disse:

      11 de março de 2011 às 15:15

      Minha vizinha de frente (moro em casa)tem um Border Collie desde filhote, hoje ele deve ter uns 3 anos. Ela é casada e não tem filhos. Dá pena de ver como ele vive sozinho e passa o dia sem ter o que fazer e com quem interagir.De tanto isolamento (ele não sai nem pra passear, fica apenas solto no quintal de 300m)ele se tornou um cão muito ansioso, eu mesma não tenho mais coragem de passar a mão nele porque da úiltima vez que o fiz, quase fui mordida por ele, acredito que pela excitação já que o pobrezinho não tem contato com pessoas. Infelizmente as pessoas compram seus cães por impulso e não se preocupam com suas reais necessidades. Eu tenho um boxer e o trato como um filho, é a raça que amo!!! Nunca foi adestrado mas entende tudo o que falo, é meu grande companheiro…

    18. dri disse:

      10 de março de 2011 às 14:11

      nao é à toa que o nome tem "border"… rsrs
      eu tinha um vira-lata "identico" a um border, em tudo, aparencia e temperamento! foi o melhor companheiro que tive na vida. costumo dizer que eu amo mais que tudo meu filho, mas fui amada mais que tudo pelo meu cão!
      eu adoro o olhar fixo deles.. sempre quis ter um cao dessa raça.. mas quando vejo os milhares de caes abandonados.. nao consigo!
      Parabens pelo texto, bem divertido de ler e instrutivo!

    19. Vanessa disse:

      10 de março de 2011 às 13:22

      AMEI!! Tenho uma Border de sete meses — infelizmente não pude adotar porque meus outros NOVE cães (sete adotados) não aceitam cães adultos, mas EU JURO que foi minha primeira idéia — e você me respondeu muitas perguntas com esse post, me fez entender muita coisa. =)
      Obrigada, foi bastante informativo e útil!! Vou compartilhar seu link no meu Facebook.

    20. Emmanuelle Moraes disse:

      10 de março de 2011 às 04:01

      Ana,
      Parabéns pelo post!
      Tenho muito dessa preocupação com a raça e também com os Australians ACD, pois são outras vítimas da desinformação e pouco caso das pessoas com as exigências das raças,que são tão semelhantes. Por isso também já postei a respeito.

    21. Tomás Szpigel disse:

      9 de março de 2011 às 23:40

      Muito bacana o texto. Grande abraço!

    22. Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

      9 de março de 2011 às 23:24

      Oi Cláudia,

      que bom você por aqui!

      Então, dá para ver que a Michele Welton tem uma preocupação em tentar ao máximo evitar que as pessoas escolham o cão errado para seu estilo de vida, o que pode resultar em maus-tratos e abandono. Gosto muito das descrições comportamentais das raças que ela faz, por isso decidi traduzi-las e fazer o Guia de Raças para Adoção na tentativa de ajudar as pessoas a adotar o animal de maneira o mais definitiva possível.

      Estou SUPER em débito com o Guia, faz tempo que não traduzo raça nenhuma, mas vou voltar ao normal.

      Beijo e dê uma lida no post sobre a Revista Au.! O Allysson escolheu um artigo teu como o principal da edição de lançamento e pediu para te avisar que fez contato via e-mail, mas não teve resposta.

    23. Claudia Estanislau disse:

      9 de março de 2011 às 23:19

      gostei muito do artigo não concordo com a nota desperada da autora de que é necessário ter uma propriedade com rebanhos para se ter um BC mas entendo porque o diz, e chamar a atenção para as potencialidades da raça e como estas maravilhas se podem tornar MUITO problemáticas se todas as suas necessidades (e são mesmo muitas) não forem satisfeitas. O artigo está óptimo e obrigada pela tradução!!

    24. Fúlvia e Suzie disse:

      18 de outubro de 2010 às 18:40

      Esse cachorro é lindo mesmo, mas realmente é demais pra qualquer mortal =p

      Não sei se teria condições de ter um, mas acredito que com comprometimento sim =)

      Beijos!

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados