• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Guia de raças no Mãe de Cachorro: Bichon Frisé

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 29 de setembro de 2010

     

    Bichon: Adotar ou não?

    –> Quer conhecer o verdadeiro temperamento de outras raças disponíveis para adoção? Confira o Guia de Raças Mãe de Cachorro clicando aqui.
    Raça de hoje: Bichon Frisé: o pompom gente fina!
    Texto: Michele Welton Tradução: Ana Corina – Todos os direitos reservados. A reprodução é expressamente proibida.
    Temperamento – O que é bom e o que é ruim sobre eles
    O padrão da raça no AKC (American Kennel Club) diz que o Bichon é “um cão de pompom branco cujo temperamento feliz é evidenciado por sua cauda emplumada portada alegremente sobre o dorso e pela expressão inquisitiva de seus olhos negros”.
    O Bichon Frisé é um cão fácil de se conviver, um cão de companhia agradável e alegre que adora brincar, se aconchegar em colos e travesseiros e subir no encosto do sofá para espiar pela janela.
    Suas necessidades de exercício são fáceis de suprir: uma ou duas caminhadas diárias mais um quintal pequeno no qual ele possa trotar e esticar as pernas.
    Bichons são pacíficos com todo mundo, inclusive com outros animais de estimação. Há uma certa timidez em algumas linhagens, então começar a socialização cedo é importante para desenvolver sua confiança.
    Embora ele tenha uma veia independente, o Bichon Frisé não é um cão dominante e responde bem a um treinamento leve. Ele prefere aprender truques ao treinamento tradicional de obediência e fica especialmente interessado quando petiscos são usados como recompensa. Crueldade/severidade apenas fazem com que ele reaja mal.

    Os três problemas de comportamento no Bichon Frisé são:

    1. Dificuldade para aprender a urinar/defecar no local escolhido por você
    2. Ansiedade de separação: a maioria dos Bichons é tão social e dependente da companhia humana que não fica bem quando deixados sozinhos por longos períodos
    3. Alguns Bichos são barulhentos e latem em excesso – e alguns têm um latido estridente.

    Se você quer um cão que…

    • Seja pequeno, mas forte
    • Seja brincalhão, mas não precise de muito exercício físico ao ar livre (embora goste bastante!)
    • Tenha uma pelagem encaracolada que não solta pelos (é uma das melhores raças para quem tem alergia a pelos)
    • Sirva para dar alerta, mas que seja agressivo
    • Seja bonzinho com outros animais de estimação
    Um Bichon Frisé pode ser bom para você.
    Se você não quer lidar com…
    • Dificuldade já famosa para aprender a “usar o banheiro”
    • Ansiedade de separação (destruição e latidos) quando deixado sozinho por muito tempo
    • Timidez (em algumas linhagens ou quando não socializado corretamente)
    • Tosas frequentes
    • Potencial para latir em excesso
    Um Bichon Frisé pode NÃO ser bom para você.
    Se você está pensando em adotar um Bichon Frisé… Considere as questões abaixo seriamente.
    1. Dificuldade para aprender a “usar o banheiro”. Como uma consultora em comportamento canino* eu coloco o Bichon Frisé na minha lista Top 10 das raças “Difíceis para ensinar a usar o banheiro”. Um treino consistente usando caixa de transporte é obrigatório.  Às vezes uma porta para cães é necessária e deve dar passagem para um quintal/pátio coberto onde haverá um “banheiro”. Problemas com o “uso do banheiro” são a principal razão para que Bichons sejam postos para adoção, só para que vocês tenham ideia!
    2. Ansiedade de separação. Mais do que a maioria das outras raças, o Bichon Frisé precisa de muita companhia e não gosta de ser deixado sozinho por mais do que poucas horas. Eles tendem a expressar sua tristeza através de um comportamento destrutivo e latindo em excesso.
    3. Latidos. O Bichon é geralmente muito rápido para dar alarme a qualquer som ou novidade. Você tem que ser igualmente rápido(a) para impedir que seu cão vire um “latidor”.
    4. Tosas. Para manter seu pelo livre de nós embaraçados, os Bichons precisam de escovação regular e de tosa a cada 6 semanas. Não espere que seu Bichon fique parecendo um “Bichon-pompom” de exposição que você deve ter visto na TV. Aquela aparência (como a da foto que ilustra o post) requer horas de tosadores profissionais e os cães não podem sequer ir ao quintal brincar. Você não quer isto!!! Ao contrário, mantenha a pelagem de seu Bicho curta para que você precise escová-lo pouco – e um benefício extra é que ele irá parecer um filhote durante toda sua vida!
    5. Mantendo um Bichon saudável. Muitos Bichons se coçam e mastigam provocando problemas de pele horríveis. Eles geralmente são alérgicos a pulgas, produtos químicos (ou seja, produtos contra pulgas!), grama, pólen etc. Infecções urinárias e pedras nos rins são um problema na raça, bem como articulações soltas nos joelhos, infecções de ouvido, doenças nos olhos e mais. [Ou seja, a Alimentação Natural simplesmente faz maravilhas por eles!]
    *Lembrando: Estou traduzindo as descrições de temperamento das raças (que já vi disponíveis para adoção) apresentadas pela autora norte-americana Michele Welton, que obviamente leva em conta que a maior parte de seus leitores mora nos EUA. Michele tem mais de 35 anos de experiência como consultora em comportamento canino e tem mais de 17 livros publicados, sendo 15 deles sobre cães.
    Adote um Bichon Frisé adulto!
    Quando você adota um filhote, você está adquirindo potencial do que ele um dia pode se tornar.  Mas quando você adota um cão adulto, você está adquirindo o que ele já é e pode decidir se é o melhor cão para você baseado em sua rotina e realidade. Há vários Bichons adultos que já provaram não ter as características negativas típicas da raça. Se você encontrar um cão assim, não deixe que elas preocupem você. Fique feliz que você encontrou um indivíduo atípico e aproveite!
    Salve uma vida. Adote um cão.

     
    *Lembrando: Estou traduzindo as descrições de temperamento das raças (que já vi disponíveis para adoção) apresentadas pela autora norte-americana Michele Welton, que obviamente leva em conta que a maior parte de seus leitores mora nos EUA e sempre tendo em mente cães dentro do padrão comportamental de cada raça. Não adianta um cão ter “cara” de uma raça, isso nem é tão difícil, um cão realmente “de raça definida” tem, mais do que qualquer outra coisa, a personalidade, o comportamento e os instintos da raça a que pertence.
    Sobre a autora: Michele Welton tem mais de 35 anos de experiência como educadora canina e tem mais de 17 livros publicados, sendo 15 deles sobre cães.
    Categoria: Adoção, Ansiedade por separação, Guia de Raças
    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    10 Comentários:

    1. Tania Botelho disse:

      10 de junho de 2013 às 07:01

      Voce fez um otimo trabalho e descreveu muito bem, e exatamente assim!! A minha Jasmin nao tem problemas em correr para o jornal, mas e nao gosta de fazer nada na rua…aos pouco esta aprendendo a fazer pipi…muitas vz chego da caminhada, e ela corre para o jornal.
      O limite máximo dela sozinha, sao 3 horas…chego em casa, e ela corre sempre para me receber com um ursinho na boca…esse e o ‘filhotinho’ dela, ela me entrega, eu dou um agrado…e la vai ela toda feliz!
      Mas estou me preocupando pq tenho notado que algumas vz quando alguém vai carregala, ela solta um ganido de dor…mas logo para, o que seria isso?
      Ela tem cinco anos, nao manca, caminha muito bem, tem uma boa postura, nao e gorda, so come ração…mas sinto que e alguma coisa nas pernas, e em determinados movimentos…alguém saberia de dizer alguma coisa?
      Mais uma vez obrigada pelos otimos comentários…Um dia vou mandar a foto dela…rssss

    2. leilane disse:

      3 de dezembro de 2012 às 01:17

      olá! há 5 mese ganhei um cachorro,e me disseram que era poodle,mas pelas características me certifiquei que se tratava de um bichon,gostaria de saber até que idade eles crescem,e se um adestramento o ajudaria,tanto pra fazer xixi no lugar certo quanto em seu comportamento,pois o que é mais difícil e deixa-lo só ,pois ele adora roer minhas plantas ou o que eu deixar meio que a vontade.Bjs !

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        5 de dezembro de 2012 às 15:40

        Oi, até uns 10 meses, que é qdo começam a ficar adultos. Adestramento sempre ajuda, a menos que o adestrador seja ruim, hehe. LEia os posts de 16 a 19 da Série Filhotes aqui do blog, eles ensinam esta questão do “banheiro”. Bjo.

    3. Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

      29 de julho de 2012 às 22:23

      Ana, a resposta para a sua dúvida irá entrar no blog esta semana, provavelmente amanhã, ok?

    4. Ana martins disse:

      17 de julho de 2012 às 04:33

      Olá,
      Meu Bichon é adoravel…
      Usa as caminhadas para suas necessidades.
      Ele está com seis anos e agora começou a manifestar agressividade.morde as pessoas, chega até a avançar.
      To preocupada,afinal ele é super amado,é o bebe da casa.
      Nunca o deixamos sozinho.não consigo entender.
      Me ajudem.
      Tenho deixado de ir a lugares…..pelo comportamento dele.
      Obrigada e aguardo um retorno
      Ana

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        21 de julho de 2012 às 14:32

        Oi Ana, não sou adestradora, mas seu cão parece ser bastante mimado e isto não é saudável pra eles. Vou passar o caso para uma adestradora responder e depois faço um post, ok? Fique acompanhando o blog, por favor.

    5. Ana Corina disse:

      6 de outubro de 2010 às 19:28

      Oi meninas,

      obrigada pelos comentários.

      E tenho uma observação: percebo que a Michele deixa bem claros os possíveis/prováveis "defeitos" de cada raça justamente para preparar as pessoas. Se ainda assim quiserem um, ótimo, já estarão preparadas. Mas acho que em geral toda essa cachorrada que ela diz ter dificuldade pra aprender a usar o banheiro, com exceção do basset hound (hehehehe), acaba não tendo TANTA dificuldade assim.

      Beijão pras 3!

    6. Fúlvia, Suzie e Letícia disse:

      29 de setembro de 2010 às 16:40

      Que bacana ler sobre essa raça! Sabe, Ana, é uma das pouquíssimas raças pequenas que eu teria, por ter um temperamento que eu AMO em qualquer cachorro.

      Não me importei com nenhum defeito dele =) E, se eu tivesse um, com certeza faria curso de banho e tosa p/ não deixar tosar com qquer um (já trabalhei em clínica c/ banho e tosa e vi horrores… chorava às vezes. Pena que eu não podia fazer porcaria nenhuma pq era apenas uma estagiária, contra um funcionário amigo do dono…).

      Beijos e continue com as traduções que estão excelentes!!!

    7. Frida Frisê disse:

      29 de setembro de 2010 às 14:37

      Eu fui morar com a mamãe com 2 meses e não tive problemas em aprender a usar o banheiro não. Uso o jornalzinho em qualquer lugar que mamãe vá.

      Mas minha ansiedade com ausência da minha mãe supera todos os outros defeitos. Parece q vou ter um ataque cardíaco quando ela aparece.kkkk

      No mais sou fofinha mesmo… adoro me aconchegar nos braços, no travesseiro etc.

      Depois me conheçam http://meucaominhacara.blogspot.com

      Lambeijokas da Fridoca

    8. Camilli Chamone disse:

      29 de setembro de 2010 às 12:46

      Muitooooo legal a sua disponibilidade em fazer essas traduções! Quantas pessoas não querem um pompomzinho adorável deste, né? Mas, será ele vai continuar sendo adorável se seu novo dono não tiver paciência para lhe ensinar onde é o banheiro?

      Uma info importante sobre alergia X cães: sabe os ácaros malignos que produzem alergia na gente? Eles amam o pelo dos cães! Quanto mais longo o pelo do cão, mais espaço para ácaros malignos.

      Bjks

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados