• Receba os posts por e-mail:

    Guia de raças no Mãe de Cachorro – Akita inu

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 18 de agosto de 2010
    Traduzi apenas três raças  desde que comecei o Guia de Raças Mãe de Cachorro e o sentimento que me assola é de que eu deveria ter começado esta seção muito antes.

    Estudando e conhecendo melhor as raças disponíveis para adoção, sejam puras ou evidentemente mestiçadas, fica ainda mais forte a certeza de que  adotar um animal simplesmente porque o acha bonito ou por qualquer outro critério que não leve em consideração sua verdadeira natureza, é no mínimo irresponsável.
    Outro ponto que salta aos olhos e que me deixa simplesmente apavorada é o papel de quem quer ter o direito de se intitular um “criador”. Lendo as características positivas e negativas do cão de hoje fica clara a responsabilidade que é criar qualquer raça. Pensem em um Akita, um cão poderoso, capaz de matar uma pessoa, sendo procriado apenas para gerar dinheiro ou para perpetuar características físicas (tamanho, beleza, porte), sem levar em consideração o lado psicológico do animal (temperamento) e o imenso poder que a socialização – seja ela mal ou bem feita – terá em sua personalidade e já não há o que discutir. Nessas horas, fico ainda mais fã do cachorro que não tem absolutamente nenhuma raça definida e vejo o quão perfeito e maravilhoso ele é, principalmente para quem tem filhos e não pretende ler e estudar muito sobre comportamento canino e características da raça em questão.
    A socialização de um filhote começa no momento em que ele nasce, mas atinge sua fase mais importante muito cedo – entre 8 e 12 semanas de vida – e deve ser bem feita não importa se o cão tenha raça definida ou não ou seja do porte que for. Nos cães com potencial para ferir gravemente ou matar outros animais e pessoas, esta questão é das mais urgentes e constantemente negligenciada.
    Adotar/conviver com um animal é maravilhoso, mas deve ser feito com critério absoluto, sob o risco de tragédias acontecerem. Se você não tem tempo e nem paciência para estudar e se dedicar a educar verdadeiramente seu amigo peludo, então ou não o tenha, ou adote um cão que tenha temperamento submisso e o mais previsível possível.
    Até peço desculpas por fazer uma introdução tão longa, mas quando o assunto é cão de guarda, restam poucas opções de raça para tutores que não sejam experientes, então volto a insistir que procurem um belo cão sem raça definida que tenha um porte mais assustador, mas que no fundo seja um bebezão. Será mais seguro para todo mundo e as chances do animal fazer parte da família até o fim de sua vida, sem correr o risco de ser morto por se tornar muito agressivo, são maiores.
    Como toda raça que estrela filmes de grande repercussão, logo haverá mais e mais Akitas para adoção do que já há… Mas não se as pessoas lerem com atenção a descrição da raça e tiverem o mínimo bom senso.
    Lembrem-se: guarda responsável sempre! Boa leitura ;-)

    –> Quer conhecer o verdadeiro temperamento de outras raças disponíveis para adoção? Confira o Guia de Raças Mãe de Cachorro clicando aqui.

    Raça de hoje: Akita Inu – O guardião silencioso!
    Texto: Michele Welton - Tradução: Ana Corina – Todos os direitos reservados. A reprodução sem autorização é expressamente proibida.
    Temperamento – O que é bom e o que é ruim sobre eles
    O Akita Inu é bonito, calmo, nobre, limpo (fácil de ensinar a usar o banheiro) e quieto (raramente late), então é compreensível que ele seja visto com um animal de estimação desejável.
    Entretanto… O Akita Inu tem uma personalidade dominante e complexa que faz dele um desafio para ser criado/educado.
    Poderoso, reservado com estranhos e protetor, o Akita Inu deve ser acostumado com pessoas desde muito novo para que seus instintos de guarda permaneçam controlados ao invés de indiscriminados.
    Akitas podem ser tão agressivos com outros cães do mesmo sexo que dois machos ou duas fêmeas nunca deveriam ser deixados sozinhos juntos. O problema é que esta raça pode ser difícil de “ler” – eles geralmente não demonstram sinais óbvios de agressividade – e um Akita Inu pode conviver pacificamente com outro cão até que um dia, inesperadamente e aparentemente “do nada”, um desentendimento menor acontece, ou talvez o outro cão o provoque demais ou se aproxime de sua tigela de comida ou brinquedo favorito, e então o Akita pode atacar com uma ferocidade insuspeita. Akitas podem ser muitos possessivos com sua comida – mantenha crianças longe quando estiverem se alimentando.
    Como você pode adivinhar, gatos e outros animais pequenos também estão em perigo perto de um Akita. Em geral, é simplesmente mais seguro manter esta raça como o único animal de estimação.
    Adestrá-lo pode ser um desafio, porque o Akita Inu é agressivo, enérgico e se entedia facilmente, então ele pode usar sua inteligência de maneiras que sirvam seus próprios objetivos.
    Ainda assim, tutores que saibam como liderar o acharão eminentemente adestrável através de métodos positivistas e que usem recompensas. Esta raça deve ser tratada com respeito – nada de provocações – mas você deve insistir em ser respeitado também ou ele vai dominar você. Akitas não são uma boa escolha para quem nunca teve um cão (principalmente grande e poderoso*).
    Ao contrário de outras raças grandes o Akita Inu não demanda horas de exercícios com corridas. Ele fica melhor com caminhadas rápidas e longas e algum exercício mais vigoroso ocasionalmente, especialmente no tempo frio. Akitas AMAM neve e frio.

    Se você quer um cão que…

    • É grande, austero e poderoso, com aparência de lobo
    • Tem uma pelagem densa que existe em várias cores e padrões
    • Apresenta-se com dignidade e uma presença impressionantes
    • Não precisa de muito exercício
    • Não late muito – faz mais o estilo “forte e silencioso”
    • Não é pegajoso (carente) ou ultra-dependente – prefere ficar na dele
    Um Akita Inu pode ser bom para você.
    Se você não quer…
    • Agressividade em potencial contra pessoas caso não seja socializado de maneira correta
    • Agressividade contra outros animais
    • Uma mente enérgica que requer um tutor confiante que possa assumir o comando
    • Possessividade em extremo com relação à comida – crianças e outros animais não devem estar por perto quando um Akita está comendo
    • Intensa troca de pelo
    • Responsabilidades legais (possibilidade de processos, banimento da raça, problemas com seguros etc.)
    Um Akita Inu pode NÃO ser bom para você.


    Se você está pensando em adotar um Akita Inu… Considere as questões abaixo seriamente.
    1. Temperamento forte. Akitas são uma das raças mais desafiadoras para se entender e criar/treinar e possuem uma mente independente. Muitos Akitas são teimosos, obstinados e dominantes (eles querem ser o chefe) e farão você provar que realmente pode fazê-los obedecer. Você deve mostrar a um Akita, através da mais absoluta consistência, que realmente deseja o que está pedindo.
    2. Providencie socialização suficiente. Muitos Akitas têm instintos de guarda contra estranhos e precisam ser expostos a pessoas amigas para que possam aprender a reconhecer o comportamento normal das pessoas “do bem”. Então eles poderão reconhecer a diferença no comportamento de alguém que não esteja agindo como o esperado. Sem uma socialização bem-feita e cuidadosa o Akita pode se tornar desconfiado com toda e qualquer pessoa, o que pode levar a agressividade total! Se você tem crianças pequenas, eu não recomendo um Akita Inu. Há simplesmente Akitas demais que não toleram nenhum tipo de brincadeira.
    3. Agressividade com outros animais. Akitas foram desenvolvidos para caçar outros animais. A maioria dos Akitas não tolera animais do mesmo sexo e não vai tolerar do sexo oposto também. A maior parte dos Akitas tem instintos para perseguir e caçar gatos e outros animais que fujam correndo, inclusive outros animais de fazenda ou sítio. Se alguma coisa der errado na procriação, socialização, treinamento e manejo desta raça, o cão será capaz de ferir seriamente ou matar outros animais.
    4. Para manter um Akita Inu em seu quintal e outros animais fora os muros/cercas deverão ser altos e com ferros abaixo do solo ao longo da linha do muro/cerca para que ele não fuja cavando.
    5. Troca de pelo excessiva. Akitas soltam muito pelo. Você achará pelos por toda sua roupa, cortinas, tapetes e decoração. Tenha certeza de que você realmente não se importa com isso.
    6. Responsabilidades legais. Akitas podem ser alvo de políticas de banimento em algumas regiões/países. Algumas seguradoras de casa recusam ou cancelam contratos se descobrem que o proprietário possui um Akita. Seus amigos e vizinhos poderão ficar desconfortáveis com seu cão por perto. Nos tempos atuais as responsabilidades legais de manter qualquer raça que pareça intimidante e que tenha um histórico como cão de guarda ou caçador sério deve ser considerada com cuidado. Pessoas são rápidas em processar se um cão como este faz qualquer coisa remotamente questionável.
    7. Francamente, a maioria dos Akitas é “cão demais” para o tutor médio e a maioria das pessoas simplesmente não tem a habilidade necessária para lidar com a raça.
    Adote um Akita adulto!
    Quando você adota um filhote, você está adquirindo potencial do que ele um dia pode se tornar.  Mas quando você adota um cão adulto, você está adquirindo o que ele já é e pode decidir se é o melhor cão para você baseado em sua rotina e realidade. Há vários Akitas adultos que já provaram não ter as características negativas típicas da raça. Se você encontrar um cão assim, não deixe que elas preocupem você. Fique feliz que você encontrou um indivíduo atípico e aproveite!
    Salve uma vida. Adote um cão.

    *comentário da tradutora

    *Lembrando: Estou traduzindo as descrições de temperamento das raças (que já vi disponíveis para adoção) apresentadas pela autora norte-americana Michele Welton, que obviamente leva em conta que a maior parte de seus leitores mora nos EUA e sempre tendo em mente cães dentro do padrão comportamental de cada raça. Não adianta um cão ter “cara” de uma raça, isso nem é tão difícil, um cão realmente “de raça definida” tem, mais do que qualquer outra coisa, a personalidade, o comportamento e os instintos da raça a que pertence.
    Sobre a autora: Michele Welton tem mais de 35 anos de experiência como educadora canina e tem mais de 17 livros publicados, sendo 15 deles sobre cães.







     

    Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

    Categoria: Adoção, Guia de Raças
    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    69 Comentários:

    1. Renato disse:

      26 de março de 2014 às 11:36

      Bom dia,
      Hoje em busca de um novo cão, me deparei em um site com um doação de um cão da raça Akita, lindo encantador,de 2 anos e 11 meses, porém o motivo que no site estavam doando era por motivo de doença na família. Entrei em contato com o doador que me atendeu em prontidão, alegando que somente estava doando o cão, pois recentemente tiveram um bebê e que quando ele pega o bebê o akita vira as costas e sai andando e ele tem receio de um ataque por ciumes. Estou na dúvida dessa adoção pois tenho duas crianças uma de 4 anos e um de 1 ano. Sempre criei Pit-bull, adotei um com 1 ano e meio e nunca tive problemas, pois conheço bem sobre a raça, mais infelizmente alguém o envenenou e ele não resistiu. Gostaria de um opinião sobre essa adoção, pois esse comportamento que o Akita esta apresentando é de ciumes e uma fase de adaptação.
      Porém após ler esse artigo, estou me perguntando como ele vai reagir em outro território, sem a presença de seu dono. Gostaria de uma opinião.

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        26 de março de 2014 às 12:09

        Renato, fica difícil julgar as pessoas, né? Mas pelo teu relato, parece mais um caso de “bebê chega, cachorro sai”. Sinceramente? Se tens condições de educar bem o cão, de fazer uma adaptação boa, de estudares sobre comportamento e te dedicares a ter uma boa relação com este animal, eu adotaria. Lógico que não vais deixar teus filhos por perto quando ele estiver comendo, lógico que vais primeiro ver como o cão se comporta com vocês etc. Seria legal se vc tivesse um adestrador positivista ajudando. Veja se a http://www.educadoracanina.com.br tem condições de dar consultoria neste caso mesmo que via Skype!

        • Renato disse:

          26 de março de 2014 às 13:01

          Muito obrigado pela dica. Ajudou bastante.

    2. Sara disse:

      15 de março de 2014 às 16:10

      Me desculpe, mas o texto traduzido não me parece a impressão de alguém que já criou um akita. O akita é um cão diferenciado. Ele com o dono é uma coisa, com pessoas estranhas ou com conhecidas, é outra. Adestrar um akita que não é seu é uma experiência completamente diferente de criá-lo. A marca do akita é a fidelidade ao dono. Cão de um dono só. Cão que gosta de ficar ao lado do dono o tempo todo. Os meus ficam deitadinhos ao lado do box enquanto tomo banho. O texto enfatiza muito a agressividade do akita, o que, na convivência diária com a família (não com outros cães) é nenhuma. Agora, de fato, é melhor criar akita em casais, porque a tolerância dele com cães do mesmo sexo é baixa e a territorialidade é grande.
      O fato de a autora ter larga experiência como educadora de cães não me seduz, pois quem fala sobre muitas raças sem tê-las criado entende um pouco de todas, mas não conhece profundamente nenhuma delas. Cada dono conhece seu cão. O resto, é folclore de vizinho.

    3. GIORDANI disse:

      27 de fevereiro de 2014 às 11:19

      GENTE EU TENHO UMA AKITA DE 1 MES E 25 DIAS LINDA VERMELHA ,MUITO CARINHOSA , ADORA BRINCAR , MAIS TAMBEM FAZ UMA BAGUNÇA VOCE NAO TEM NOÇÃO ROPA NO VARAL , TENIS , CHINELO ELA CARREGA TUDO KK MAIS AOS POUCOS ESTOU ENSINANDO ELA E LOGO LOGO ELA JA VAI PODER DAR UNS PACEIOS E SE DESTRAIR MAIS POIS MORO EM APARTAMENTO E E UM POUCO RUIM EM QUANTO ELA NAO TOMA TODAS AS VACINA .

    4. Rodrigo Carleial disse:

      5 de fevereiro de 2014 às 23:35

      Ana, tudo bem?
      Bom… Admito que este texto me deixou com receio de criar meu Akita. Mas… Estou com ele, está com dois meses e 3 dias.
      Se criarmos ele com carinho, amor, disciplina, atenção, corre o risco dele ser agressivo comigo e com minha esposa?
      É um cão que deve ser adestrado à partir de quantos meses?
      Caso ele não atenda, seja teimoso, como melhorar?
      Forte abraço!

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        12 de fevereiro de 2014 às 15:47

        Oi Rodrigo,
        não fique assim, até pq os akitas no Brasil não são os ‘puríssimos’. Relaxa, crie com amor, DISCIPLINA, exercícios físicos etc.
        Todo cão deve começar a ser ensinado desde que chega na nova família. Sobre a teimosia, daí ñ sei responder. Fala com a http://www.educadoracanina.com.br, ela dá consultoria online. Abração e o mais importante é ñ mimar! Mimado, nem filho humano presta ;)

    5. ezequiel prudente disse:

      5 de fevereiro de 2014 às 15:47

      um amigo meu,cruzou um akita com u chow chow!
      queria sabe se os filhotes não vão se muito agressivos!?

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        5 de fevereiro de 2014 às 18:55

        Ezequiel, ser agressivo passa por vários fatores além de predisposições genéticas, inclusive a maneira como os cães serão tratados/criados/mantidos/cuidados.
        O que podemos prever é que terão as características das duas raças, apenas isto.

    6. Rodrigo Carleial disse:

      25 de janeiro de 2014 às 16:02

      Muito ácido o texto.
      Deveria ser mais ponderado… Pois a criação vale 90% do que o cão será. Fica a dica.

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        28 de janeiro de 2014 às 00:44

        Oi, Rodrigo,
        o texto é a tradução do trabalho de uma criadora que já caminha para 40 anos de experiência. Ele serve de noção para as tendências comportamentais das raças, algo ignorado na hora da compra ou adoção, o que termina causando maus-tratos, abandonos e outras barbaridades. Vale lembrar que ela fala nos padrões de temperamentos de animais puros, o que, sejamos MUITO sinceros, é cada dia mais raro, dada a falta de estudo e de responsabilidade dos que se dizem criadores e às incontáveis ninhadas geradas por pessoas que não têm a MENOR ideia do que seja criação e aprimoramento de raças, o que gera animais que vão se distanciando cada vez mais do padrão de comportamento e temperamento originais.

    7. Matheus Esrom disse:

      8 de dezembro de 2013 às 15:16

      Ola sera q fica boni akita inu cruzado com akita americano?

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        10 de dezembro de 2013 às 15:41

        Matheus, NUNCA recomendo a cruza de cães por pessoas que não sejam criadores sérios e experientes, nem mesmo se forem da mesma raça…

    8. Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

      7 de outubro de 2013 às 00:07

      Oi Rafael,
      acho que esta é uma característica pessoal do cão, assim como tem gente com mais ou menos cabelo… Alimentação de qualidade é a base de toda saúde, então se for pra caprichar, que seja por aí. Recomendo> http://www.cachorroverde.com.br, http://www.tendenciasnaturebaspets.com.br

    9. Rafael disse:

      2 de outubro de 2013 às 21:19

      Olá!
      tenho um Akita de dois meses. só que vejo varios akita com pouco pelo. e não que que o meu fique assim.
      o que fazer pra isso não acontecer?

    10. Thalita oliveira disse:

      23 de agosto de 2013 às 08:59

      Muito obrigada pela ajuda,Estou lendo aqui sobre outros caes.

    11. Thalita oliveira disse:

      22 de agosto de 2013 às 02:34

      Ola,eu nunca tive cachorro,mas agora eu penso em ter,eu escolhi o akita e estou lendo muito sobre ele,uma coisa que vejo e que todos nao recomendam um akita para iniciantes,entao eu estou um pouco “assustada” tenho um irmao de 5 anos, e sei que nao deixara o cachorro em paz. Bom,eu ja pensei em um golden,mas estou mt em duvida.Se eu pegar um Filhote de akita,criar com amor,levar para passear…Mesmo assim ele pode ter um comportamento agressivo?
      Adorei o site!

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        22 de agosto de 2013 às 08:46

        Oi Thalita, eu não recomendo, sinceramente. E também não recomendo cães filhotes para quem nunca teve cachorro, pois eles precisam ser educados, têm muita energia, mordem tudo e todos, destroem coisas etc. Procure um bom cão já adulto para adotar, converse muito com o(a) protetor(a), veja vários, escolha bem. Cães de portes maiores costumam ter mais paciência com crianças. Seja bem-vinda e pode pedir ajuda sempre.

      • Talita disse:

        30 de setembro de 2013 às 14:30

        Boa tarde minha “chará”. Rsrs…
        Thalita, sobre sua pergunta sobre uma iniciante ter um akita: eu sou uma iniciante,o Nikko é meu primeiro cachorro depois de adulta (qd era criança meus pais tiveram alguns cães)e posso te assegurar que tenho melhor convivência com ele, do que todos os donos de cães que eu conheço. Eles sempre se admiram da inteligência e obediência do Nikko. Vc pode sim conseguir o mesmo. Mas vc deve fazer um “curso intensivo antes”, pesquisando muito sobre a raça e sobre adestramento. Para um akita não é só o AMOR e passeios que conta. Vc deve ter pulso firme e fazer como no texto: qd vc der alguma ordem p/ ele, deve mostrar que vc quer aquilo MAIS DO QUE TUDO! Rsrs… Eles tem uma índole muito teimosa. Mas se desde bebê vc ensiná-lo da forma certa, em 3 meses ele já terá entendido o seu lugar na casa, e então vc vai se surpreender com o a inteligência dele. É algo muito prazeroso treinar um akita, pois isso estreita mais os laços de relacionamento com ele, mas vc deve levar isso muito a sério,mesmo. Eu aconselho o seguinte: Pesquise bastante sobre a raça, se vc então, decidir ter um akita mesmo assim, e nenhuma outra raça ou SRD entrar no seu coração, então vc DEVE tê-lo. Mas saiba que terá que se dedicar bastante (o q é gostoso, acredite), para se ter um “bom akita” deve procurar ser a MELHOR DONA DO MUNDO. Afinal, em todo relacionamento tem trocas. Se vc ainda estiver interessada em ter um, e quiser ver uns vídeos do Meu Nikko, visite minha pág. no Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCtK-lUtMyw0LJD0Ij-aO45A, ele está com 9 meses agora. Comecei a adestrá-lo desde o primeiro dia que chegou em casa.
        Boa sorte na sua escolha.

        • Thalita Oliveira disse:

          3 de outubro de 2013 às 13:47

          Talita *-*
          Olha muito obrigada, de verdade.Eu vou esperar mais um pouquinho mesmo, rs, eu ainda nao estou preparada para ter um akita :( infelizmente eu queria ter, so que tem de ter dominio neh? E eu sei que nao vou conseguir adestra-lo corretamente, como deve ser. Eu primeiro, vou ter um mais calminho, ou melhor mais facil para ensinar, pois eu nunca tive um caozinho, sera melhor mesmo ter um que seja mais tranquilo para ensinar. Estou muito agradecida a todos, e a vc pela ajuda! Beijos e Muito obrigada chara ^^

    12. Norberto disse:

      31 de julho de 2013 às 01:09

      Tive um akita durante 15 anos. Sozinho era tranquilo. Na primeira cria dela resolvi ficar com um filhote macho. Depois de um tempo de convivencia pacifica ela comecou a bater no proprio filho dela. Um amigo quis ficar com ela e eu concordei. Pois bem ele me ligou e disse que ela tinha matado o basset haund dele arrancando a barrigada. Peguei ela de volta. Outro amigo japones quis levar ela para a chacara dele. Outra ligacao e outra devolucao. Ela matou um fila. Pegou no pescoco. Enfim dei o filhote e fiquei com ela. Andava com ela na rua sem coleira sem problemas. Nunca atacou ninguem . Nem cachorro nem gato e nunca atacou pessoas. So eu conseguia sair com ela sem coleira. Nao obedecia mais ninguem. Tinha 3 criancas pequenas na epoca. Nao podiam cheegar perto da vasilha de comida dela. Nunca atacou mas mostrava os dentes e rosnava. Morreu com 15 anos de torcao gastrica. Hoje estou com uma que vai fazer um ano mas totalmente diferente da outra. Mais individualiosta e nao obedece muito. Mas aos poucos estou mostrando para ela quem “manda” . Acho uma excelente raca. Muito inteligente e de uma sensibilidade enorme.

    13. Marina Rinaldin disse:

      16 de julho de 2013 às 22:14

      Eu tive um Akita, o nome dele era Lobão e ele adotou minha família quando já era adulto, eu digo isso porque ele simplesmente apareceu no portão da nossa casa e ficou conosco por 8 anos. A minha família sempre teve muitos gatos e para ele nunca foi problema, depois adotamos uma linguicinha e ele a recebeu no grupo muito bem.
      Tivemos alguns episódios meio tensos principalmente quando ele conseguia abrir o portão e corria atrás dos cachorros de rua, mas bastava uma ordem de qualquer membro da minha família que ele parava e voltava para dentro do jardim.
      Era muito fácil dar banho nele porque ele adorava, algumas vezes até dormia e aí eu tinha que segurá-lo com todo aquele peso.
      Uma coisa que notei nessa raça é que eles, quando atingem uma certa idade, ficam muito doentes e precisam de muitos cuidados, então, se não está disposto a isso…não adote um Akita.
      A minha família sente muitas saudades do Lobão, temos várias fotos dele e quando bate aquela saudade ficamos olhando e lembrando das peripécias do nosso cachorro.

    14. Monica disse:

      8 de junho de 2013 às 16:49

      Tenho uma Akita femea, com 3 meses. Eh docil, companheira, limpa (nem precisei ensinar a fazer nescessidades no lugar, ela faz desde que chegou). Nao late a toa! Enquanto outros cachorros vizinhos ficam latindo ela fica na dela! So tenho coisas boas a dizer dela, ja consegui ensinar todos os comandos basicos pra ela, como deitar, sentar, dar a pata, fica… E eh minha primeira cachorra! Espero que as pessoas nao se deixem levar por pessoas que se dizem especialistas… ACORDEM!!

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        10 de junho de 2013 às 11:00

        Monica,
        que bom que vc está se dando bem com sua Akita. Mas como você mesma fala, é sua PRIMEIRA cachorra e tem APENAS TRÊS MESES DE vida. Assim, acho que cabe um pouco de bom senso e de interpretação de texto ao julgar o trabalho de pessoas que trabalham com educação caninas há mais de TRÊS DÉCADAS, né? O Akita é um cão maravilhoso, como todo cachorro, mas é FATO que tem características de comportamento próprias e que estas podem ser prejudicadas pelo PÉSSIMO cruzamento. Ótimo se sua cadela for um exemplar tranquilo e espero que seja assim a vida inteira, mas a descrição da raça é válida, principalmente para quem possa estar querendo ter um Akita sem estudar bem a raça.

    15. Wagner Ribeiro Junior disse:

      5 de junho de 2013 às 16:49

      Olá, adorei a explicação sobre o Akita, meu akita é muito brincalhão super dócil, porém se deixar ele domina o jardim, o único problema no meu caso é o pelo tenho um jardim imenso porém minha casa vive cheia de pelos, parece que tenho um Urso Polar na sala.
      grande abraço a todos

    16. grazi disse:

      11 de março de 2013 às 12:10

      oi ganhei um filhote de akita misto com viralata, ele tem dois meses e dorme muito durante o dia, mas ele não quer ficar na coleira a noite e não posso deixa lo solto a noite pois moro de aluguel e minha casa não é a unica do quintal e ele já fugiu uma noite pra porta de outra casa para chorar, os outros moradores não gostam de cachorro e ele está há tres semanas chorando direto quando vai pra coleira, não sei o que fazer gosto dele mas não posso deixa lo dormir mais dentro de casa só durante o dia optei por esta raça por ser silenciosa, sei que é só um bebe mas os vizinhos estão reclamando muito, me ajudem…

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        14 de março de 2013 às 00:02

        Grazi, mas o que vc não deveria ter feito era adotar um cachorro sem ter um quintal só dele… Ele é MUITO filhote, vai reclamar e com razão. MAnter cães na corrente é considerado maus-tratos e podes até ser denunciada.

    17. Talita disse:

      1 de março de 2013 às 18:56

      Boa tarde! Moro em Curitiba, meu marido e eu compramos um filhote de akita de 50 dias. Faz 14 dias que ele já está conosco. É muito brincalhão e serelepe, mas dá p/ notar que tem uma personalidade dominante mesmo. Estudei muito sobre a raça antes de comprar, e estamos preparados p/ essas características negativas do akita. A única coisa que confesso atrapalha um pouco o seu adestramento é a fofura dele,rsrs… Mas sempre pensamos no futuro, qd ele for adulto, enorme, e com dentes afiados! Ao servirmos a sua ração, sempre pedimos p/ ele executar algum comando antes, como sentar, dar a pata… Costumo por a mão dentro do prato dele tb, e tirar o prato com ele comendo, assim ele já está aprendendo a não ser tão possessivo com a comida. Utilizamos o método do “adestramento inteligente”, de Alexandre Rossi, é ótimo p/ akitas, o meu aprendeu rapidinho. E te ensina a ter dominância e ser o líder da sua matilha (família)tb.
      Ana, eu concordo que quem gostaria de ter um cachorro só p/ companhia, deve adotar, e não comprar, mas isso qd a pessoa não tem preferência das características de certas raças. Eu, por ex. me apaixonei pelo akita, por tudo nele, seu silêncio, sua beleza, sua fidelidade, carinho, poder. Me apaixonei tanto que isso não poderia ser substituído por um cão de qualquer outra raça ou SRD, e isso acontece com várias pessoas,infelizmente, um akita puro, com todas as características da raça, é bem raro de ser encontrado p/ ADOÇÃO, só tem p/ venda, e com valor alto, então não acho correto dizer: “- Não compre, adote!” Mas sim: “-Se puder, adote, se não, pesquize muito bem, e compre de um criador responsável!” Eles são poucos, mas acreditem: EXISTEM!

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        4 de março de 2013 às 15:21

        Talita, concordo com tudo, mas aqui em Floripa, TODA HORA tem akita abandonado. Acho mais fácil achar um cão de QUALQUER RAÇA pra doar do que um VERDADEIRO CRIADOR. Beijo.

        Ah, se eu fosse você, compraria e leria o livro CãoSenso, que desconstrói toda essa questão de liderança de matilha e dominância…

    18. Fabiano disse:

      27 de fevereiro de 2013 às 00:58

      O akita é um excelente cão. É importante buscar um criador experiente, ele saberá passar informações coerentes sobre a raça. Não existe cão perfeito. Cães SRD também podem apresentar perigo pois não é possível saber quais características ele estará manifestando, poderá ser mais para guarda, companhia, caça como saber. Quanto esta historia adote não compre é importante ressaltar que se não fosse os criadores conservacionistas muitas raças já teriam se perdido.

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        27 de fevereiro de 2013 às 09:45

        É importante ressaltar TAMBÉM, Fabiano, que se não fossem os PÉSSIMOS PROCRIADORES REVENDEDORES DE FILHOTES QUE SE AUTO-DENOMINAM CRIADORES E QUE SÃO A ABSOLUTA MAIORIA, as raças não estariam ficando tão DOENTES e distantes do padrão ideal de comportamento e temperamento, né? ;)

        Criador de verdade é raríssimo.

    19. Peterson disse:

      13 de fevereiro de 2013 às 15:11

      Adotei uma femea de akita com 2 anos, segundo o antigo dono ela foi adestrada por uns 5meses desde o nascimento e ate hoje ela se mostra mto carente/educada sempre deita em nossos pés e sempre ergue a patinha pedindo carinho, mas é de uma teimosia imensa se recusa a entrar no canil onde é coberto e prefere dormir na chuva(nao sei se é por que o canil era de outro cachorro). Ótimo cão para guarda apesar de não transmitir a sensação de segurança que um rottweiler ou um doberman tem um latido mto grave e mto semelhante a caes proprios para guarda. Recomento a reça, e parabens pelo artigo

    20. Gustavo disse:

      28 de janeiro de 2013 às 15:44

      eu vou ter um akita eu amo esse tipo de cao

    21. Marly disse:

      14 de janeiro de 2013 às 22:53

      Tenho um akita americano, o cão mais lindo da minha cidade, ela está com 1 ano e meio, já foi atacada na rua por duas vezes, por femeas de pitibull, da primeira vez o pit estava num restaurante e se soltou da corrente que o prencia, eu nem vi,quando derrepente estava se engalfinhando com minha akita, ela ganhou a luta, mas o dono do pitibull teve que bater nele para soltar a akita…..e elasomente o largou quando ele a largou…ela não se machucou…. a segunda vez foi sabado passado, tomei um susto, um vira latas veio para cima da minha akita e ela foi para ele então a guia arrebentou e ela foi com tudo caçar o vira latas, de dentro da casa dos donos do vira latas saiu um pitibull que se atracou com minha akita, os donos colocaram extintor de incendio para separa-los e nada, até bater com a vasilha do extintor e então conseguiu separar, minha akita tinha a boca cheia de sangue e se arrastava ao chão com as patas todas sujas de sangue …. pensei ela vai morrer, fiquei arrasada, saimos dali com a familia toda junta em coro olhando para mim e dizento “isso é um akita” mas eles esquecem que “aquilo é um pitbull” mais adiante dei agua para minha akita e levei para casa, em casa dei banho nela e busquei achar algum ferimento, nenhum havia, o sangue era todo do pitbull, fiquei aliviada e assustada, ela não se machucou em nenhuma parte do corpo.,…comprei uma guia enorme e vou usar dobrada e vou comprar um enforcador de corrente, sem aqueles dentes….para não acontecer mais isso dela se soltar, caso não se soltasse não teria se encontrado com o pitbull, parece que os pitbulls também não gostam de akitas americanos.

      lindo blog….ainda não sei muito sobre a raça, achei bonito e amo a minha akita ela é fofa, comportada, dócil com humanos, mas percebo que não gosta de outros animais, ou tem ciúmes de mim com eles e olha as pessoas que são estranhas de soslaio, sendo simpatica com quem se aproxima com carinho, mas me parece sempre com um pezinho atras com todos…

    22. Ana disse:

      29 de dezembro de 2012 às 02:24

      Ganhei uma Akita hoje, ela tem 2 meses, não sei se é por ter estranhado a casa ela é muito quieta, treme muito quando nos aproximamos e onde a gente colocar ela deita, dorme muito.
      Tenho um SRD e um gato (que de primeira não gosto dela), já estou tentando acostumar eles pois tenho medo que ela mate meu gato ou meu outro cachorro depois de ler o texto :(
      O meu cachorro é muito simpático e ele já conviveu com um mestiço de Rottweiler que era extremamente agressivo e teve que ser sacrificado, meu medo é pelo meu gato que é muito egocêntrico.
      O que eu faço? Não quero me desfazer de nenhum deles.

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        3 de janeiro de 2013 às 12:43

        Ana, vamos por partes:

        1) é NORMAL ela dormir muito, é uma bebê! Leia a Série Filhotes que vai te ajudar bem> http://www.maedecachorro.com.br/2010/08/serie-filhotes-no-mae-de-cachorro-%E2%80%93-indice-dos-posts.html

        2) que PENA esse lance do Rott… cara, NÃO EXISTE cachorro irrecuperável. E outra, ele era agressivo por quê? Em que circunstâncias? fiquei super triste agora…

        3) leia bastante sobre comportamento canino, NÃO mime a filhote de Akita, deixe que os três animais se ajustem sozinhos e com certeza reinará paz na tua casa. Uma amiga minha tem um yorkie, dois gatos e qdo veio o filhote de Akita foi super tranquilo, mas ela deixa que ELES convivam e estabeleçam as regras, sem puxar sardinha pra lado nenhum. Hoje já se passaram uns 2 anos e está tudo na maior paz.

    23. Tallyta Aguiar disse:

      6 de outubro de 2012 às 14:37

      Eu quero mt adotar um cachorrinho akita

    24. Katiane disse:

      2 de outubro de 2012 às 22:17

      Sou mais uma a defender os akitas!rs. Tenho um akita e uma SRD. O que tenho a relatar é que são cães extremamente companheiros que fazem de tudo para proteger os donos e ficar sempre por perto! è complicado ler esta tradução e olhar para esse anjo aqui perto de mim!

    25. Vera Lúcia Sassi disse:

      25 de setembro de 2012 às 21:08

      Olá Ana Corina!
      Eu tenho 4 gatos e uma cadela SRD de 5 anos e esta semana encontrei uma Akita branca no mato, abandonada, cega e cheia de feridas. Consegui que ela me acompanhasse até ao carro e a trouxe para casa. Separei a minha cadela para outra ala da casa e não sei como fazer para socializar estas duas. Os gatos estão circulando normalmente por ela, mas a cadela SRD não consegue sair de dentro de casa. Que fazer? Pode me auxiliar?
      Abraços

    26. Lorrane disse:

      20 de setembro de 2012 às 14:12

      Texto muito extremista, concordo com menos de 30% do relatado em relação a raça.

      o cão é reflexo do dono e ponto…

    27. leticia disse:

      11 de setembro de 2012 às 21:06

      eu tinha um akita mas ele morreu amava muito ele e agora a gente esta querendo comprar outro

    28. Gabi disse:

      8 de setembro de 2012 às 15:32

      Olá, nunca tivemos cachorros na vida, o primeiro foi uma linda filhote de Akita Inu, hoje com 9 meses e muito grande. Ela respeita todos na casa, muito educada, carinhosa, está SEMPRE AO NOSSO LADO todo o tempo, na hora de comer sempre espera vc colocar o prato no chão e AUTORIZAR que ela coma, é preciso dizer: “pronto linda, pode comer”. Brinca muito e cumprimenta cada um da casa colocando as patinhas no nosso ombro. Foi socializada desde filhote, mesmo assim temos cuidado com estranhos. Uma coisa muito interessante é a capacidade de PERCEPÇÂO do dono e das outras pessoas, ela sabe quem gosta e quem não gosta do dono, dela ou da família. Acho muito importante adotar o AKita desde filhote. Isso na minha opinião é muito importante mesmo. Vale a pena, pois o amor é incondicional. Abraços.

    29. gloria disse:

      7 de setembro de 2012 às 23:25

      há 10 meses minha filha comprou uma akita femea filhote de 70 dias do canil tibiguari,elaa já está grandinha,linda,e adora todos da casa,pricipalmente meu neto,brincalhona,mostra ser muito amiga,fica sempre junto de todos.Dorme dentro de casa.Parece entender todos,fica triste se ficar sozinha.Todos mostram os limites para ela.Ela é otima em aprender.Mas, sob orientações sempre controlamos distancias de outros animais,e longe de estranhos.È uma raça inteligente,linda.

    30. Patricia disse:

      30 de julho de 2012 às 07:48

      Tenho 3 Akitas sendo uma cadela e dois machos todos castrados eles são uns amores muito doceis e brincalhãoes não tenho problemas com eles eles ficam todos juntos num canil, olha não troco essa raça por nada, eu já tive boxer e rottweile. Estou muito feliz com os meus eles realmente não latem a toa se eles latem é porque tem alguém estranho…

    31. Mari disse:

      19 de julho de 2012 às 12:21

      Realmente o texto faz o Akita parecer bastante perigoso. rs
      Vou contar um pouco da minha história, que defende os Akitas e a autora do texto tbm.
      Já tinha um casal de shi tzus faz alguns anos, qnd mudamos para uma casa maior, e decidi comprar um cão de grande porte para fazer guarda.
      Depois de muitas pesquisas decidi que a raça certa seria o Akita.
      Comprei uma femea, e ao mesmo tempo contratei um adestrador para me ajudar com meus shitzus, que apresentavam agressividade com outros cães.
      Não deu outra, quando minha Akita fem era filhote,
      meu shitzu macho brigou algumas vezes com ela, pois ela o amolava, mas nada sério, ela nunca revidou.
      Mas quando ela cresceu…Começou a apresentar muita possesão com comida, e atacou minha shitzu fem várias vezes, causando ferimentos leves. Assim como no texto, qnd não tem comida perto, posso até jogar a shitzu em cima dela que ela n liga, mas se vê a pequena comendo, corre para ataca-la.
      Com muita paciencia e cuidado, consegui diminuir a agressividade dela, mas não deixo comida a disposição, pois tenho medo de acontecerem brigas.

      Assim, a raça não é pra qq um, e qnd em conjunto com outros animais pode ser perigosa. São cães muito amaveis, mas muito fortes, e uma briga pequena pode ter resultados catastróficos.

      Se vc tiver só um casal ou um único Akita, provavelmente nunca verá esse lado “feio” da raça.
      Mas ele existe, e é preciso MUITA paciência, amor e dedicação (Sem falar grana pro adestrador) para lidar com isso.

      Ah, tbm tenho um macho Akita, mas não tenho problema nenhum com ele. A femea que é muito dominante, e bate de frente com minha shitzu, que tbm é territorialista.

      Abs

    32. Lilian Jordão disse:

      19 de março de 2012 às 01:11

      PS: Eu tinha um akita JAPONÊS. Os akitas americanos são realmente conhecidos por seu comportamento instável.

    33. Lilian Jordão disse:

      19 de março de 2012 às 01:09

      Achei muito injustos esses comentários sobre o Akita. Principalmente a introdução. Tive um na família por 14 anos, desde meus também 13 anos. Quando filhote tinha muita energia (como qualquer filhote), mas podíamos RETIRAR A COMIDA DE SUA BOCA sempre que necessário, já que o acostumamos desde filhote. Agora é verdade que não convive bem com a maioria dos outros cães. Puseram essa raça como uma raça ruim, e isso NÃO É VERDADE.

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        20 de março de 2012 às 11:51

        Oi Lilian,

        Não tem nada de ruim com o Akita, não. A autora do texto tem mais de 35 anos de experiência como educadora canina e ela apenas está chamando atenção para características da raça. VOCÊ pode ter um Akita que não morde quando mexem em sua comida e com certeza há VÁRIOS assim, mas é preciso alertar para o fato de que é uma característica da raça não gostar desse tipo de atitude. Não achas melhor prevenir a remediar? ;)

        Quanto akitas americanos terem comportamento menos estável, isso deve-se justamente ao que falo na introdução do texto: CRUZAMENTO SEM CRITÉRIOS. Prova disso é eles pegarem uma raça japonesa, com todo um histórico e um padrão de criação, e começarem a procriar assim ou assado, criando uma “versão norte-americana”.

        Cães são SEMPRE maravilhosos, mas as raças puras têm particularidades e características específicas que, quando respeitadas, evitam acidentes, confusões e maus-tratos contra os cães.

    34. Lisa disse:

      21 de fevereiro de 2012 às 15:35

      Olá.. Eu tenho um akita que irá fazer 1 ano agora em março e ele é um amoooor.. Adora brincar, só acoa quando sente perigo, tem medo de chuva hahaha… É muito bagunceiro, mas quando eu estou triste parece que ele sente, ele não desgruda de mim. Ele é muito carinhoso. Eu amo meu Aron. É uma raça maravilhosa e sinceramente não pretendo ter cães de outras raças, somente akitas. Eu amo meu amiguinho e poucas pessoas são tão leais a mim quanto meu cachorrinho.
      Abraços

    35. Roberto Bezerra da Silva disse:

      4 de janeiro de 2012 às 17:41

      Olá Ana, sou o criador do cão da Sara que postou de Campinas/SP – só um adendo a tradução com o intuíto sempre de compartilhar, nas últimas décadas, todos os processos gerados nos USA contra Akita, diziam respeito ao American Akita ou Akita Americano e não ao Akita Inu, na verdade fora os cães que foram roubados durante a 2ª guerra do Japão os americanos só vieram conhecer realmente os Akitas Inus depois de importar o cão já uma raça famosa de criadores brasileiros inclusive como meu amigo Maurício Pioli e de outras partes do mundo.Obrigado Luz e Paz á todos.Roberto/SP

    36. Ana disse:

      24 de dezembro de 2011 às 19:14

      Eles devem ser muito fiéis, pois que não sabe essa é a raça do Hachiko (lindíssima história real sobre a fidelidade canina)
      Beijos!

    37. Anonymous disse:

      4 de outubro de 2011 às 04:56

      meu pai tem um Akita branco. Lindo, fofo, carinhoso, ama todos, ama brincar. Um amor mesmo. Chora quando sozinho por muito tempo e faz a maior festa quando meu pai chega em casa. Quando pula pra dar oi pra gente pula bem devagar e encosta a patinha no peito da gente pra nao derrubar.
      O cao reflete o dono. Dono mala, agressivo, cao mala, agressivo. Ja conheci ate pitbull que vive com gato!

    38. Anonymous disse:

      19 de agosto de 2011 às 18:02

      Oi Ana,
      Muito boa a iniciativa de colocar as características da raça para os futuros donos conhecerem melhor os cães que querem. Só que confesso que fiquei um pouco revoltada com a forma como a descrição da raça foi colocada – até parece que o Akita é um monstro indomável que é melhor não ter. Se é para generalizar, então vamos colocar pitbulls, rottweilers, pastores alemães, dobermans e a maioria dos cães grandes de guarda no mesmo “saco” porque muito da violência com que esses cães agem são espelho da responsabilidade (irresponsabilidade?) dos criadores e/ou donos.

      Mas, verdade seja dita, o Akita, como dizia o criador do meu cão, não é uma raça para qualquer um. Só que eles também são cães adoráveis, carinhosos e muito companheiros e é preciso ver se as características da raça combinam com as suas, conhecer o seu cão e tomar os devidos cuidados. Isso é o que deveria ser feito com qualquer raça.

      Eu gostaria de deixar meu depoimento e listar os 3 itens que acho os mais importantes para se ter um Akita: criador responsável, socialização e adestramento.

      Escolher um criador responsável e deixá-lo escolher o filhote mais adequado foi, na minha opinião, a principal razão de eu ter hoje um Akita brincalhão e amável que convive com meus 5 gatos (isso mesmo: ga-tos) como se fosse um deles.

      Adestramento: Akitas só devem ser adestrados para obediência, nunca para ataque (aliás, acho que nenhum cão deveria..). E mesmo no quesito obediência, a primeira coisa que a adestradora perguntou foi: “Você quer um pet ou um cão de guarda?”. Bom, eu escolhi ter um pet. E não adianta você contratar um adestrador e não fazer nada – você precisa aprender a adestrar e gastar tempo adestrando-o, afinal, o cão tem que obedecer a você e não ao adestrador.

      Socialização: deve ser feita desde filhote. O meu cão teve a sorte de ser socializado pela filha do criador, na época com uns 4 anos, que carregava os filhotes pela casa. A adestradora também trazia cães para socialização e os meus gatos, temerosos a princípio, também fizeram parte da socialização.

      Eu e o meu Akita já fomos quase atacados na rua por poodles, schnauzer e vila-latas violentos (sim, esses pequenos tbém são violentos, só não tem tamanho) e eu nunca tive problemas em mantê-lo quieto. Bem sociável, não se importa em ter as orelhas apertadas/puxadas por crianças – mas isso teve e tem adestramento diário de puxão de orelhas e rabo.

      Não curto cão que late, cão que se suja e suja a casa, cão carente, grudento e que precisa de muita atenção diária, dependente e que precisa de exercício. Amo meu Akita pelo que ele é, um cão quase-gato. Sei que nunca vou poder baixar a minha guarda com relação a supervisão com estranhos, crianças e outros bichos, pois mesmo que o meu cão seja manso, ele é grande e não sabe a força que tem, e estranhos, crianças e outros bichos são sempre imprevisíveis – mas não troco meu Akita por nenhum outro cão.

      Abaixo segue um link de um vídeo de um dos meus gatos comendo junto com (ou melhor, afanando a comida d) o meu Akita – não é generalizável pois cada cão é um cão, mas para mostrar que nem sempre um Akita se torna um matador de gatos: http://www.youtube.com/watch?v=cOhsxgTqGM0

      E um link para quem quiser conhecer melhor a raça: http://www.clubedoakita.com.br/
      []s,
      Sara (Campinas-SP)

    39. Ana Corina disse:

      28 de dezembro de 2010 às 18:03

      Oi Pati,
      sim, a autora generaliza bastante, só que tens que lembrar que ela é norte-americana, né? E lá tudo é 'processo' e mais 'processo', então acho que eles escrevem/fazem/falam tudo pensando nisso.
      Só que na verdade teu pai foi um QUERIDO que fez o que 90% dos tutores de cães não faz: ESTUDOU, então o mérito é dele e ele não pode ser considerado leigo no assunto, né não? ;-D

      Beijo e bem-vinda! Volte sempre.

    40. Pati Beatriz disse:

      28 de dezembro de 2010 às 17:59

      Oi Ana… Estou aqui para defender um pouco os donos de Akitas. Tenho um casal, a fêmea com 10 anos e o macho com 8. Ambos foram adestrados pelo meu pai, que aprendeu em um livro alguns truques e com carinho e dedicação de toda a família. Nunca tivemos um episódio grave… foram poucas as vezes que brigaram com outros cães na rua. Ambos são muito carinhosos e o macho é até hoje brincalhão como um filhote. Ahh, tenho tb uma pug de 4 anos, que é a paixão do meu akita, ele ADORA ela e vice-versa. A relação da pug com a akita fêmea não é afetuosa, mas já existe o respeito.
      O que quero declarar é que esses cães não são impossíveis de se criar por "leigos" em criação. Basta ter dedicação e afeto e aconselho muito, pois são verdadeiros companheiros e excelentes guardadores.

      Em tempo… parabéns pelo EXCELENTE blog. Também sou de Floripa e conhecí seu blog hj, e já adorei!

      • Jobert Gue Sanches disse:

        20 de dezembro de 2013 às 04:34

        Infelizmente, conheci seu site somente agora. Tenho uma Akita a “Dara” me considero realmente pai dela. E concordo com você na maioria das referências que fizestes oportunamente aos Akitas. Mas considero que a tradução desta matéria sobre eles (Akitas) Não contemple explicitamente em realidade. Além dessa cadela que possuo, já tive outros cães da mesma raça e afirmo sua conduta extremamente positiva e postura altamente fiel. Ainda gostaria de informar que esses cães jamais deverão ser agredidos com xingamentos exacerbados ou fisicamente. Assim como o Pastor Alemão são defensores do seu meio mas sobretudo de sua sobrevivência. Em relação às crianças, os machos se afastam sempre de sua presença e as fêmeas são altamente protetoras. Então ao comentar suas reações, poderias citar 2 coisas importantes: 1. O indivíduo é único (o meio, a convivência) 2. O Akita escolhe. (Você pode comprar, dar de presente para alguém …) mas ele e só ele, tem o poder de escolher seu dono Desculpe-me por extrapolar em comentários mas ainda gostaria de deixar uma crítica construtiva e espero que entendas… “Nos dias de hoje com toda interação existente em busca de informações e principalmente o compartilhamento das mesmas, questiono sua postura em relação à divulgação das matérias ou traduções refletidas em seu Blog, pois potencializaria sua propagação se optasses por não colocar restrições à sua divulgação de conteúdo. Sinceramente, adorei seu trabalho que propicia a troca de conhecimentos. Parabéns ! Feliz 2014.

    41. Ana Corina disse:

      19 de agosto de 2010 às 01:09

      hahaha Mas o importante é isso, saber se vai se adaptar ao cão ou não. Raças existem, são fato e há cada vez mais cães de raças definidas ou com mestiçagens claras pra doação. Seria burrice ignorá-las, além de preconceito e fanatismo. Cachorro é cachorro e é tudo de MELHOR, tenha esta ou aquela característica.

      Eu já prefiro os fortões e calmos, hahaha, com ou sem raça definida. Sou preguiçosaaaaa.
      ;-)

    42. Fúlvia, Suzie e Letícia disse:

      19 de agosto de 2010 às 01:01

      Ai, Ana, eu não curto os molossos… salvo o Boxer. Sou madrinha de uma =) Justamente pela baba.

      Já os SRDs são uns fofos mesmo! Sempre tive, gato e cachorro, tudo adotado.

      Fora o Whippet, adoro os Setters (especialmente o Inglês e Irlandês) e o Sheltie. Sempre digo que minhas raças do coração são essas 3 e os virinhas. Não tem jeito. E, se precisasse de um cão de guarda, fico entre aqueles que te falei: combinam com meu temperamento e não são fortões (gosto de cachorros mais esbeltos e dados a atividades físicas!).

      Beijão pra vcs!!!

    43. Isabella oliveira madeira disse:

      18 de agosto de 2010 às 22:36

      Realmente o trabalho de divulgar as características das raças, é um ótimo trabalho que vc est[á fazendo! A cultura de alguns países ( inclusive o nosso ) é muito errada em relação aos cães, as pessoas adiquirem um animal primeiro, e depois vão buscar conhecer melhor!
      álias, uma das coisas que me motivou a começar meu blog sobre cães, foi ver a necessidade de informações que as pessoas tinham, e do outro lado, a dificuldade de encontrar uma boa fonte, que falasse com uma linguagem simples, clara, verdadeira e completa.
      Independente de comprar ou adotar, todos deveriam ser devidamentes informados sobre como se deve cuidar de um cão, á respeito de seu porte, tipo de pelagem, temperamento, etc.
      Uma boa matéria a se fazer, é da importância que tem, deixar o cão o tempo necessário com as mães e seus irmãozinhos, antes de doá-lo ou vendê-lo, onde ele desenvolverá uma boa sociabilização com outros cães, relacionamento saudável entre outros benefícios!
      Eu tb NUNCA teria um Akita! Essa raça definitivamente não combina comigo!
      lambeijos!
      ISa

    44. Ana Corina disse:

      18 de agosto de 2010 às 19:59

      Fúlvia, querida, sou fã dos molossos (cães gigantes como o fila) e tirando a baba, são tão perfeitos quanto os SRDs, hehe.
      Mas cão de guarda é sempre responsabilidade TRIPLICADA, então é importante que as pessoas conheçam BEM a raça antes de adotar.
      Como dizem os bons educadores caninos "Se você não dá trabalho para um cão de trabalho, ele te dá."
      Vai de whippet mesmo que tá maravilha, hahaha. ô Coisicos lindos, adoro esses magricelos pernudos!
      Beijão.

    45. Ana Corina disse:

      18 de agosto de 2010 às 19:57

      Oi Gi, meu anjo, vc tem motivos pra sumir um anooooo inteiro, não se importe comigo e com mais nada além do bem-estar da tua família, viu? Beijo MUITO grande no coração de vcs!

    46. Fúlvia, Suzie e Letícia disse:

      18 de agosto de 2010 às 18:32

      Ana, o Akita tb não é pra mim. Aliás, eu não sei se teria um cão de guarda… risos. Os únicos que tive contato e que foi muito bacana foi Dobermann e Pastor Branco. Meus pais já tiveram Fila, era super dócil, eu a amava muito, mas baba demais =P risos

      Beijos e continue assim!

      • Vera Sassi disse:

        12 de fevereiro de 2014 às 17:06

        Olá pessoal!
        Eu tenho uma cadela da raça Akita. Encontrei-a em um mato, longe da minha casa, no lado morro aqui em Itanhaém.
        Estava amarrada em um toco de árvore, faminta, com 700 carrapatos e cega!
        Tenho 4 gatos e uma cadela SRD. Mesmo assim, eu a trouxe para casa.
        Ela respeita os gatos e a outra cadela, sabe tudo, onde estão a água e a comida, divide com todos suas tigelas e ainda suporta as brincadeiras dos netos e sobrinhos que por aqui aparecem.
        Acho que ela sabe que sou sua benfeitora e me ouve sempre que advirto sobre algo.
        Dorme muito, acho que por não enxergar, mas a veterinária disse que ela nasceu cega, talvez por isso seja tão dócil.
        Sou muito feliz com ela, que sabe a hora do passeio e ela é muito delicada com todos nas ruas e com crianças inclusive.
        Outro dia, passeando na praia, ela ouviu crianças com uma bola e ficou parada, mas quando a bola se aproximou, ela foi até ela.
        Garanto a vocês, ela não enxerga nada, mas tem uma sensibilidade muito grande!

    47. Gigi e Lola disse:

      18 de agosto de 2010 às 15:02

      Oi , desculpa a falta de carinho com você, mas é que agora que estamos voltando ao normal…

      Beijinhos da Gigi e Lambeijokas da Lola

      http://www.caotinhodalola.blogspot.com

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados