• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Aos berros… Ou melhor, aos latidos! Dicas de como prevenir e melhorar latidos excessivos.

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 13 de novembro de 2009
    Direto do site da Arca Brasil alguns trechos pra gente sobre este importantíssimo assunto. Para ler a íntegra da matéria deles, clique aqui.
    “Em um levantamento nos EUA, com uma amostra de 1.984 cães de abrigos, os latidos excessivos surgiram em 10o lugar na lista de razões para o abandono. O repúdio aos latidos incessantes é um distúrbio comportamental que pode, até mesmo, ser considerado ‘justificável’” aponta a Dra. Daniela Ramos, especialista em Comportamento Animal pela University of Lincoln (Inglaterra). O Brasil, segundo país com a maior população pet do mundo, ainda não tem uma pesquisa sobre a matéria.
    A gravidade da questão está nas conseqüências negativas, como maus-tratos e abandono, por isso não menospreze o assunto. Latido excessivo é coisa séria. Antes de criar caso com os vizinhos ou dentro de casa, procure um médico veterinário especialista em comportamento animal e peça uma avaliação.
    (…)
    Identifique o perfil do seu mascote e veja onde ele se enquadra.
    A Dra. Daniela divide os peludos falantes em dois grupos:
    1- O menos grave, quando o cachorro late em situações específicas.

    “Ao avistar um estranho ele pode se exceder na freqüência e na intensidade, mas é
    capaz de se controlar de modo a não emitir latidos fora da determinada situação”.
    2- Os mais preocupantes, aqueles que já perderam o controle sob a vocalização. “Os sons acontecem fora do contexto e mesmo na ausência de estímulos aparentes”, diferencia a especialista.
    Nos dois casos os latidos podem sinalizar que o animal precisa liberar energia, está ansioso ou sente alguma ameaça ao próprio território. Depois de classificá-lo, é fundamental buscar as causas para o distúrbio. A ONG The Humane Society of the United States, referência naquele país,aponta os
    quatro principais motivos: tédio ou solidão; questão territorial; medo ou fobia; e ansiedade.
    Tédio ou solidão: Fica sozinho por longos períodos de tempo. No ambiente não tem companheiros ou brinquedos. Tem menos de três anos e não tem outros meios para gastar energia. É de uma raça ativa, que precisa de uma ocupação para ser feliz.
    Recomendações: passeie com o cão pelo menos duas vezes por dia. O exercício ajuda fisica e mentalmente. Dê brinquedos e se divirta com ele (a), jogue uma bolinha ou frisbee. Ensine comandos ou truques básicos e pratique todos os dias.

    Se o cão latir para chamar sua atenção, dedique um tempo suficiente para os cuidados diários (carinhos, higiene, brincadeiras e exercícios). Se necessário, contrate um profissional para caminhar com ele. Se a grana estiver curta, peça a ajuda a algum vizinho ou amigo.

    —————————————————————————–

    Questão territorial: O latido acontece na presença de intrusos (carteiros, crianças indo para escola, outros cães ou vizinhos).

    Recomendações: quando ele começar a latir para um transeunte, interrompa os latidos atraindo-o com algo positivo. A surpresa deve parar os barulhos momentaneamente. Quando estiver calmo, elogie e o recompense com um biscoito.

    Ensine que as pessoas não são invasoras, são amigas e que coisas boas acontecem para ele quando estão ao seu redor. Toda vez que ele não latir, pode ganhar recompensas como biscoitos, brincadeiras e atenção.
    Quando estiver em casa e seu animal começar a latir, chame-o e pratique os comandos básicos de obediência (“Fica!”, “Senta!”, “Junto!”). Não esqueça de agradá-lo quando estiver comportado. Não incentive latir para os estímulos de fora. A esterilização também é recomendável, animais castrados tendem a latir menos.

    —————————————————————————–

    Medo ou fobia: Acontece quando ele é exposto a ruídos altos, como tempestades, fogos de artifício, ou barulhos de uma construção. Fique atento a postura do seu cão, orelhas para trás e rabo para baixo são sinais de medo.
    Recomendações: Identifique o que o assusta e trabalhe em sua dessensibilização. Você precisará de ajuda profissional durante o processo. Converse com o veterinário sobre medicamentos anti-ansiedade (florais), enquanto trabalha na modificação do comportamento.
    Deixe o animal em uma área confortável, você pode ligar a televisão ou um rádio. Evite mimá-lo para que ele não pense que está sendo recompensado pelo seu comportamento medroso.

    —————————————————————————–

    Ansiedade: Ele começa a latir logo após você sair de casa. A rotina da família sofreu alterações e agora ele passa mais tempo sozinho. Houve a morte de um membro da família ou ele passou um período em algum canil.
    Alguns casos de ansiedade podem ser resolvidos por meio de técnicas de dessensibilização. Para outros casos é indicado uso de medicação ou florais prescritos pelo veterinário.
    Informações baseadas no texto da The Humane Society of the United States

     

    Categoria: Guarda responsável, Latidos, Saúde
    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    6 Comentários:

    1. Sónia disse:

      2 de Abril de 2013 às 07:16

      Bom dia, eu adotei uma cadela arraçada de podengo já esterilizada com cerca de 8 meses, ela quando veio era muito tímida, tinha medo de todos os barulhos, e só queria ficar perto de mim, como ela tinha sido abandonada eu dei-lhe muitos mimos, e como tinha outro cão da mesma idade ela começou aprender com ele a brincar etc. mas começou a ladrar cada vez mais, e destrói tudo quando saio de casa, e mesmo quando estou em casa, para chamar atenção, pensei que o seu comportamento era normal devido a sua carência. Mas agora ela tem 1 ano e 6 meses e está pior, teve uma altura melhor, mas partiu a patinha e desde ai que piorou de novo,deixo-a no pátio para não destruir a casa, com brinquedo dela, comida etc, mas mesmo assim não pode ouvir nada, até ao vento ela ladra compulsivamente. Claro que os vizinhos reclamam muito. O que devo fazer? Pois já mudei de casa para esta onde ela tem um espaço exterior, e nem assim ela melhora. muito obrigada e parabéns pelo seu blog.

    2. Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

      26 de junho de 2012 às 11:42
    3. sueli disse:

      13 de junho de 2012 às 08:28

      tenho 7 cachorros 4 femêas e 3 machos, quando um começa a latir todos latem principalmente quando tocam a campainha, quando o lixeiro passa, quando escutam barulho de cavalo na rua, quando chega alguém em casa mesmo sendo conhecido é como se eles tivessem dando as boas vindas, o que faço?

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        14 de junho de 2012 às 23:46

        Oi Sueli,
        vou pedir para uma adestradora responder tua questão com um post, ok? Fique de olho no blog, por favor.

    4. marina disse:

      13 de novembro de 2009 às 13:57

      a Bianca late muito 10 pras 7 da manha, na hora de descer pra fazer as necessidades, ela vai latindo escadaria abaixo (os vizinhos simplesmente amam), já tentei de tudo, mas não adianta, e ela vai latindo o passeio inteiro e na subida da escada, só fica quieta quando volta pra dentro do apartamento!

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados