• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    É esse tipo de demonstração de carinho que dá forças pra continuar, quando tudo que eu gostaria no momento é de parar e curtir meu luto…

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 3 de setembro de 2009

    Obrigada, Jéssica, muito obrigada mesmo, de coração. Na noite de segunda-feira, mesmo chorando ainda pela passagem da minha Moira amada, continuei a fazer o blog e a programar os posts que estão entrando durante esta semana. Fiz isto principalmente por mim, para lembrar de não parar, porque confesso que a vontade é de nem ver mais nenhum outro cão pela frente que não sejam os dois amores que ainda tenho a felicidade de ter junto a mim.

    E, querida, você não falhou em não devolvê-las às ruas, você fez uma escolha e se comprometeu com ela até o fim. Minha única dica é que tentes doá-las quanto antes porque este dinheiro que vais gastar em hospedagem já serviria para castrar outras e evitar que inúmeros animais nasçam para uma vida de sofrimento. São poucas as pessoas que conseguem castrar e devolver na rua, eu mesma só devolvo quando percebo que o animal está sendo cuidado, nem que seja por comerciantes e claro que não é fácil, mas é a minha escolha, porque minha luta maior é por educação e castração, mas é preciso que haja todo tipo de ajuda para os animais, porque a maioria deles realmente nem tem condições físicas e psicológicas de voltar para a dura realidade de viver nas ruas. Parabéns por tudo e por favor continue com teu projeto de castrar a cachorrada do bairro com ajuda das ONGs, ok?
    Beijo grande!

    Ah, tinha esquecido de botar a carta abaixo também. Valeu Fábio! Mais um desconhecido carinhoso comigo… Obrigada de coração!

    Notícias do Dia, 1º de setembro de 2009.
    Clique na imagem para lê-la.

    From: Jessica
    To: Ana Corina
    Sent: Wednesday, September 2, 2009 12:37:40 PM
    Subject: Querida Ana!

    Olá Ana,

    Estou te escrevendo esse email, para agradecer em meu nome, e no nome de muitos animais que eu acredito que você ajudou da mesma forma que vou relatar. Além do agradecimento, esse será um depoimento de como uma pessoa pode sim fazer algo mais, aquele algo mais que eu aprendi mesmo de longe, com você:

    Quando eu descobri o Mãe de Cachorro, eu era mais uma dona deles, que os amava e me sentia sensível ao ver alguns nas ruas. Depois de um tempo acessando o seu blog, eu adquiri o sentimento “mãe de cachorro” e me senti mãe de certa forma, não só dos meus, mas dos outros também… e esse sentimento foi crescendo a cada dia, até que cheguei a um ponto, onde lendo todas as suas histórias, depoimentos eu me questionei e percebi que não adiantava amá-los e chorar como louca com algum sofrimento, eu precisava fazer alguma coisa a mais. E se você fazia, se você podia, porque eu não poderia também?

    É esse ponto que eu quero falar… você foi o exemplo que eu decidi seguir, eu imagino que você também tenha que passar por muita coisa da sua vida pessoal para ser a mãe de cachorro que é hoje, e aí eu percebi que eu poderia passar também.

    Há duas semanas, fui colocar comida pros cães do bairro, quando uma fêmea no cio me seguiu. Na verdade naquela hora foi como se eu estivesse em transe, e ela me olhava e eu sabia que precisava fazer algo, mesmo que um boxer enorme e bravo já estivesse atrás dela tentando cruzar… mas não posso reclamar, afinal se ele não estivesse ali eu não veria que ela estava no cio e não perceberia a gravidade de não sei quantos filhotes nascendo na rua. Subi, peguei uma salsicha, uma guia e decidi ir atrás dela… mas pra que? Ela estava me esperando no portão! Foi só jogar uma salsicha pro macho e colocar ela pra dentro do estacionamento do prédio.

    Nisso, chamei um vet que ia me levar pro hotelzinho dele, até que eu a castrasse, pois já estava em negociações com uma ong pra castrar todos do bairro. No caminho acabei vendo uma pretinha que estava grávida! Não hesitei, peguei ela também.
    No dia seguinte, as duas estavam de banho tomado, vermifugadas e indo pra cirgurgia. Hoje estão muito bem, e minha maior recompensa é chegar onde estão e ser recebida com aquela quantidade imensa de amor e gratidão. Já parecem outras cadelinhas estão muito felizes e saudáveis, nem parece que operaram!

    Eu só falhei em uma coisa: Não consegui colocá-las de volta nas ruas, deve ser uma fraqueza de iniciante : ) De qualquer forma, a moça que está com elas decidiu cobrar um valor fixo por mês, pra mantê-las lá, sei que estão muito bem cuidadas, a moça gostou tanto que uma delas até dorme no sofá da sala! Com a ajuda de algumas ongs vou levá-las em feiras de adoções.

    Então Ana, partindo desse raciocínio, imagine quantas pessoas você deve conseguir influenciar com essa atitude linda e positiva.
    Eu te digo com toda sinceridade do mundo, se eu não lesse o seu blog, se não conhecesse o pouco e virtual que conheço de você, eu não sei se teria tido essa atitude, eu não sei se me preocuparia tanto em castrar os animais do terminal. Quase certeza que não.

    E hoje você já pode contabilizar mais duas cadelinhas que você ajudou, mesmo indiretamente. Por isso que eu quero te agradecer, e te dar os parabéns, por ser uma pessoa que se importa, e que arrumou uma forma de fazer a diferença.

    Beijos sinceros, e muita força e amor nesse momento,
    Jessica.

    Categoria: Animais de rua, Castração, Mãe de Cachorro
    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    10 Comentários:

    1. Ana Corina disse:

      26 de março de 2010 às 21:45

      Nossa Ed!!! Pô, eu não sabia! E olha que divulgo vários eventos no Rio e tem um monte de leitora de lá. Vou divulgar em um post específico pq a notícia é ótima! Obrigada

    2. e-didi disse:

      26 de março de 2010 às 18:30

      Adorei o site, e gostaria de informar que na cidade do Rio de Janeiro a prefeitura tb oferece castração gratuita. São vários pontos espalhados pela cidade, é só entrar em contato com a prefeitura pelos telefones 2503-4577, 2503-4654, ou pelos e-mails sepda@pcrj.rj.gov.br, ouvidefanimais@pcrj.rj.gov.br,
      para maiores informações.
      Beijos mil!!!! Edlaura.

    3. Pri disse:

      4 de setembro de 2009 às 00:44

      Oi Ana, sei mto bem o que vc está passando, é uma dor que só realmente o tempo para curar, com o tempo só as lembrnças boas ficarão. Lembra de qdo vc me escreveu sobre os meus 2 amores que perdi em 3 meses, hj só guardo e lembro os dias felizes e tento apagar sempre o sofrimento delas no fim, pq infelizmente assim como nós, a dor tanto física qto emocional, faz parte do aprendizado e evolução por aqui. Um filho não substitui outro, nunca, cada um é único, mas hj sou feliz pq sou irmã de mais uma fofa canina e de um fofo felino, sem contar as minhas filhas caninas que precisam mto do meu amor e dedicação.
      Força e fé.
      Bjão

    4. Não Compre, Adote disse:

      3 de setembro de 2009 às 17:53

      Ana,
      Mãe de Cachorro,
      Mãe de Blogs,
      Mãe de Protetoras: teus filhotes e nós também morremos de orgulho de ti.

      Beijão!

    5. Bianca disse:

      3 de setembro de 2009 às 17:32

      Eu concordo em número, gênero e grau com a Jéssica e sou mais uma dessas que era mãe de cachorro, achei o blog da Ana, vou lendo e fui me envolvendo. Hoje já resgatei e salvei apenas 3 cachorrinhas, sou madrinha de mais uma, auxilio com ração, trabalho voluntário, divulgação e pago alguns gastos no vet com as que eu recolho e ajudo tb. Me sinto muito mais feliz que antes.
      Ana, eu queria o contato da Jéssica, para poder divulgar no site da OBAFLORIPA a foto das cachorrinhas (pode mandar para o email adocaocaesfloripa@gmail.com).
      E sobre a perda de uma filha, eu já perdi 3 na minha vida. Só o tempo nos faz melhorar, mas a marca deles no nosso coração vive para sempre e por eles nos fazerem tão felizes no pouco tempo que passam conosco que eu nunca deixarei de ter no mínimo um comigo. Eles fazem da minha vida mais alegre e mais feliz!! Força, tenha a certeza que a Moira teve uma vida muito feliz e que ela em breve estará de volta!! Bjus!!

    6. marina disse:

      3 de setembro de 2009 às 15:58

      eu tb nao consigo ver, nao pegar e no final ainda devolver pra rua!
      semana passada largaram uma filhotona na faculdade, ela tem uns 7 meses, é pequenininha e linda, ela vestia uma roupinha q eu tive q cortar com a tesoura pq nao saia, acredito q ela deve ter crescido com aquela roupa, como não posso ficar com mais cachorro nesse ape minusculo de estudante ela está na casa de uma amiga temporariamente, mês q vem ela vai ser castrada e então vou procurar um dono pra ela

    7. Ana Corina disse:

      3 de setembro de 2009 às 14:51

      Oi Kelen, obrigada por escrever! Olha, o melhor que podemos fazer na verdade é também GRATUITO: educar as pessoas sobre o respeito e os cuidados que os animais merecem. E todos, não só nossos queridos cães e gatos. Ensinando uma pessoa sobre castração aqui, sobre guarda responsável ali, estaremos mudando a cultura e um dia este será um bom mundo para os animais nascerem.

      Beijo.

    8. Ana Corina disse:

      3 de setembro de 2009 às 14:31

      De Curitiba, PR.

    9. Kelen disse:

      3 de setembro de 2009 às 14:28

      Não pare, Ana!

      A dor que vc está sentindo não se traduz em nossa linguagem humana e imperfeita…mas não desista.

      Eu, como essa moça, passei a ler todo o dia a coluna e já sinto uma transformação em mim: antes só sentia dó, sofria sem me mexer…

      Hoje, eu ainda não coloquei "a mão na massa" como a colega que castrou as cachorrinhas…. mas sei que um dia poderei ajudar mais…. faço o que está ao meu alcance… pequenas doações em dinheiro, coloco fotos e banner's no meu orkut, peço doações p/ meus familiares p/ casos urgentes…

      Como diz a frase de São Francisco: "comece fazendo o necessário, depois o possível e quando se der conta estará fazendo o impossível."

      Abraço,

      Kelen, São Paulo

    10. Anonymous disse:

      3 de setembro de 2009 às 14:02

      Que SUPEEER!!!!

      De onde é a Jessica?

      Bj
      Baiana

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados