• Receba os posts por e-mail:

    Entrevista com um dos veterinários da Coobea sobre bicheiras (miíases) e coluna de hoje…

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 17 de abril de 2009
    Clique na imagem para ampliá-la.
    Jornal Notícias do Dia, 10 de abril de 2009
    Colaboração Técnica:
    Jamil Junior (CRMV/SC 4016)
    Sempre brinco que minha energia não deixa que os casos mais escabrosos de animais sofrendo apareçam na minha frente e com isso sigo na minha vidinha de catar cães na rua basicamente só para castrar e ocasionalmente resgato algum para ficar sob meus cuidados até ser adotado.
    O último mais doente que vi e que parei para ajudar, foi o poodle do centro (não, nunca mais o vi). Mas se há um tipo de situação que me faz parar o que estiver fazendo, não importa o quê, é ver um cão com bicheira.

    Tenho um peso na consciência muito grande porque há anos vi um cão com uma bicheira enorme na cabeça entrando e deitando numa lixeira e deixei para ajudá-lo dez minutos depois porque na minha cabeça ele ainda estaria lá. Não só não achei, como fiquei desesperada e vou carregar essa culpa pro túmulo. Além disso, há todos os casos de animais com bicheira em que fiquei horas catando larva, sem que nem sempre eles sobrevivessem às complicações da doença.

    Depois que publiquei o post sobre as atrocidades que acontecem contra animais aqui em Floripa, e onde eu também falava da maldade que é negar ajuda a um animal com bicheiras, fiquei sabendo que os veterinários da Coobea fazem em média cinco atendimentos de casos graves de bicheira por dia (de segunda a sexta, sejam atendimentos internos ou externos), então enviei a eles a entrevista abaixo, que o médico veterinário Jamil Junior (CRMV/SC 4016) respondeu prontamente e ainda enviou as tristes fotos do cão branco e preto que ilustram este post. A coluna no Notícias do Dia de hoje também é sobre este verdadeiro horror e é complementada por este post.

    A entrevista é longa, o assunto é terrível, mas tudo que você aprenderá vale cada minuto que gastar lendo. Aí vai:

    Mãe de Cachorro: O que é a bicheira?

    Dr. Jamil Junior: A miíase (vulgarmente conhecida como bicheira) é a invasão de tecidos ou cavidades abertas do organismo animal por larvas de Cochliomyia hominivorax. Ela ocorre quando a mosca desta espécie, conhecida como mosca varejeira, põe seus ovos (cerca de 350) em feridas ou em cavidades (ouvido, boca, ânus etc). Estes ovos eclodem e as larvas se alimentam vorazmente do tecido ao seu redor através de enzimas proteolíticas que destroem o tecido. Todo o ciclo de vida desta mosca (desde a eclosão dos ovos até tornar-se mosca adulta) leva de 21 a 23 dias.

    Mãe de Cachorro: Existe um período de maior ocorrência das miíases?

    Dr. Jamil Junior: Sim, durante o verão, porque o calor favorece o ciclo das moscas, que se reproduzem com mais freqüência e completam seu ciclo mais facilmente.
    No entanto, como nosso país não tem estações do ano bem determinadas, poderíamos dizer que o calor, em qualquer estação do ano, já favorece a ocorrência de miíases.

    Mãe de Cachorro: Em que se baseia o tratamento das miíases?

    Dr. Jamil Junior: O tratamento, feito pelo veterinário, baseia-se no uso de medicações por via oral ou injetáveis, que vão matar as larvas, e que levam à sua queda do corpo do animal. E posteriormente no uso de outras medicações que vão combater a infecção bacteriana secundária e a inflamação local. O veterinário vai prescrever também produtos para uso local, que tem como função ajudar na cicatrização, conter o sangramento e atuar como repelente de insetos.
    Em casos mais graves é necessária a terapia de suporte, com acompanhamento contínuo, combatendo os sintomas, que variam de acordo com a localização da miíase e da extensão da ferida.

    Mãe de Cachorro: O que fazer e o que não fazer quando eu percebo que meu cão tem miíase?

    Dr. Jamil Junior: Procurar auxílio veterinário imediatamente. Ele vai prescrever o tratamento adequado e indicar a medicação correta. Não tente tratar sozinho, você pode complicar ainda mais a situação. Não tente comprar medicações sem a prescrição do médico veterinário. Com certeza, você só vai gastar dinheiro à toa. E depois, a situação vai se complicar e você vai ter que gastar mais ainda para comprar a medicação adequada.

    Mãe de Cachorro: Em média, quantos atendimentos de animais com “bicheiras” são atendidos diariamente pela equipe interna e externa da Coobea?

    Dr. Jamil Junior: É difícil estimar um número exato, pois a ocorrência varia bastante, principalmente de acordo com o clima.
    Na COOBEA, incluindo atendimentos internos e externos, temos em média cinco casos de animais com miíases por dia nos períodos mais quentes do ano.
    No verão a ocorrência é bem maior, devido às altas temperaturas. O calor favorece a multiplicação da mosca varejeira, transmissora da doença.

    Mãe de Cachorro: É possível precisar, só de olhar as lesões, há pelo menos quanto tempo um animal está padecendo com a miíase sem que ninguém procure ajuda profissional? Pergunto porque me revolta ver o estágio avançado da doença, principalmente em animais com um “responsável”.

    Dr. Jamil Junior: Isso pode ser observado pela quantidade de larvas que se encontram na ferida e pelo estágio em que elas se apresentam. Se estão bastante ingurgitadas (inchadas) significa que já ingeriram boa quantidade de sangue.
    Sabe-se que o ciclo completo da mosca dura 21 a 23 dias, e sabe-se também que a mosca pode vir 2 ou 3 vezes na mesma ferida para botar mais e mais ovos. Em cada postura a mosca bota cerca de 350 ovos. Então, juntando estes fatores, você pode estimar o tempo. Pela observação da quantidade e do estágio destas larvas, e do tamanho da invasão que elas fazem, podemos estimar o tempo.

    Mãe de Cachorro: De que maneiras as pessoas podem evitar que seus cães e gatos peguem “bicheira”?

    Dr. Jamil Junior: É importante salientar que a prevenção da miíase é baseada no controle da mosca, ou seja, prevenir a mosca. Limpeza e higiene são fatores importantes na residência da pessoa que tem animal de estimação. E inclui fatores como esgoto. O local tem esgoto a céu aberto? Possui uma estrutura adequada de esgoto? Outros fatores são os ambientais. Locais próximos a rios e matas têm tendência a ter maior quantidade de moscas, entre elas a transmissora da miíase.

    Mas o fator mais importante da prevenção é o seguinte:

    A MIÍASE É UMA DOENÇA QUE SÓ ACONTECE POR
    NEGLIGÊNCIA DO PROPRIETÁRIO!!!

    Isto porque ela necessita de um fator predisponente para sua ocorrência, e este fator é visível ao proprietário. O mais comum são as otites, infecções do ouvido, onde o animal apresenta desconforto com os ouvidos, chacoalha a cabeça frequentemente, esfrega as orelhas, apresenta secreção no ouvido. Se não for cuidada, pode ser uma atração para a mosca, gerando a causa principal de miíase em cães, que são as otomiíases (miíases no ouvido).

    Outro fator predisponente são as doenças de pele (dermatites), que causam feridas ou mesmo porque deixam a pele úmida, sendo motivos de atração para as moscas. Também podem ocorrer miíases na glândula adianal (ao redor do ânus), quando ela está infeccionada; nos olhos, quando apresentam corrimento; no nariz, também com corrimento e na boca, quando há periodontites não tratadas.

    Portanto, entende-se que a miíase ocorre em feridas prévias, não tratadas. E por isto, quando o animal apresenta miíase, é porque havia um problema prévio e o proprietário não tratou.

    ENTÃO:

    Para evitar a miíase, basta cuidar bem do seu cão, tratando as feridas e lesões desde o princípio.

    Mãe de Cachorro: O que fazer quando se percebe que o animal já está com as larvas?

    Dr. Jamil Junior: A pessoa deve sempre buscar auxilio veterinário. Nenhuma medicação pode ser dada ao cão sem a prescrição do veterinário.

    Mãe de Cachorro: O que não fazer em hipótese alguma?

    Dr. Jamil Junior: NUNCA, NUNCA, JAMAIS dê banho de creolina, ou jogue dentro da ferida… NUNCA!
    A creolina é um produto de limpeza. Não é uma medicação. Ela é muito tóxica ao animal, pois pode ser absorvida pela pele, ou, mais comumente, o cão lambe e se intoxica, podendo ir a óbito.
    Não ajuda em nada passar óleo queimado, nem gordura de porco. Nada disto resolverá o problema. Só complica para o tratamento pelo veterinário. E complica a limpeza e desinfecção do local.
    Somente jogar sprays (daqueles comuns, vendidos em qualquer casa agropecuária) em uma bicheira não vai adiantar muito. O spray só vai atingir as larvas mais superficiais. É bom lembrar que as larvas cavam galerias, e atingem profundamente o tecido afetado. Nestas larvas, o spray não chega. Portanto, só o spray não resolverá miíases profundas.
    Não confie em vendedores de pet-shops e casas agropecuárias. Eles não são médicos veterinários. Não estudaram para obter o conhecimento adequado do funcionamento completo do organismo animal e geralmente têm por meta somente vender o produto, e para isto praticam a chamada “empurroterapia”, onde o objetivo é ganhar lucro sobre o proprietário do cão, que está desesperado, sem saber o que fazer com o cão doente.

    Mãe de Cachorro: Que tipo de complicações a miíase causa?

    Dr. Jamil Junior: Nos olhos – pode causar a destruição total do globo ocular. E claro, cegueira.
    No abdome – pode perfurar o abdome, destruindo músculos e chegando ao interior, causando infecção generalizada.
    Na pele – pode causar feridas enormes e profundas, que demoram para cicatrizar, dependendo do nível da infecção.
    Nas patas – pode levar à perda e à necessidade de amputação da pata ou de alguns dedos.
    Na cauda – pode levar à amputação.
    No ânus – pode levar à alterações na anatomia do ânus ou pode atingir o reto, prejudicando seriamente a defecação.

    Na vagina e no pênis – prejudica a reprodução e a micção.

    Enfim, as complicações variam de acordo com qual local foi atingido, e com o tamanho da ferida. Se a ferida já era grande antes da miíase, com a ocorrência desta, a situação complica-se mais ainda, pois desenvolvem-se infecções secundárias que complicam o quadro inicial. E o animal poderá sofrer de infecção generalizada ou septicemia.

    Mãe de Cachorro: Quanto tempo pode viver um animal com bicheira?

    Dr. Jamil Junior: Depende de onde ela afetou. O que vai levar o cão a óbito não é a miíase por si só, e sim as complicações que ela causa e o local onde está afetando. E depende ainda de qual foi o fator predisponente que atraiu a mosca.
    Não há como determinar isto com precisão, pois varia bastante. Pode-se falar a respeito do quê levaria a óbito, mas o tempo fica difícil precisar.
    Vai depender da infecção bacteriana secundária podendo acontecer de a bactéria ou de suas toxinas penetrarem pela corrente sanguínea, causando graves problemas. É isto que leva o animal a óbito. E também devido a dor, o animal apresentará falta de apetite. Sem energias, acabará morrendo. Outro fator que pode levar a óbito é a desidratação. Com dor, ele não bebe água, e através da ferida aberta e da perda de sangue constante irá ficar muito desidratado. A desidratação mata muito rápido, pois as células necessitam de água para funcionar. O cérebro será o primeiro afetado. E a perda de sangue pode levar a um choque hipovolêmico (ou seja, um estado grave, que ocorre devido à hemorragia, podendo levar à morte).

    Mãe de Cachorro: Quais são os sintomas do animal que apresenta miíase?

    Dr. Jamil Junior: Novamente, a resposta varia de acordo com qual foi o local afetado.
    De modo geral, apresentará apatia (tristeza, desânimo), anorexia (perda de apetite), diminuição da ingestão de água. Pode apresentar febre (caso haja infecção bacteriana associada). Em casos mais graves apresentará prostração (ou seja, permanece deitado, caído, prostrado).
    E na miíase, de modo geral, o animal apresentará um cheiro pútrido, repugnante, de necrose. Há secreção sero-sanguinolenta (aquela secreção aguada com sangue) inicialmente, podendo evoluir para secreção pio-sanguinolenta (quando saem pus e sangue juntos). Observa-se na ferida uma movimentação constante, que são as larvas se movendo e devorando o tecido. O cão sente dor ao tentar ser tocado no local afetado. O cão se recolhe, se esconde e tenta lamber o local afetado.

    No ouvido, terá dores fortes, ficará com a cabeça pendente, com a orelha caída.

    Nos olhos, há aumento da secreção dos olhos, que se torna uma secreção purulenta, edema (inchaço) das pálpebras. Irritação constante. O cão tenta coçar, esfregar os olhos.

    Ao redor do ânus – dor para defecar. Ou evita defecar e acumula as fezes.
    Na boca: evita comer. Sente dor ao comer. Tenta comer e desiste.
    Na cauda – esconde a cauda, morde a cauda.
    Nas patas – manca da pata, apresenta dor ao andar, deixa marcas de sangue no chão.

    Mãe de Cachorro: Alguma consideração pessoal sobre o problema?

    Dr. Jamil Junior: Como já disse, as miíases só ocorrem quando há um descuido de um problema primário, quando há um fator predisponente. Animais que sofrem maus-tratos, que não são observados de perto podem ter miíases facilmente.

    Vou citar alguns casos:

    Atendi um cão com a orelha inteira tomada por miíase. Isto não ocorre de um dia pro outro! Ele teve uma otite. Apresentou dor. Ninguém percebeu. Veio a varejeira, colocou os ovos, se tornaram larvas, e as larvas foram destruindo o tecido. E ninguém percebeu! Isto é inadmissível!! Ninguém reparar que o cão está com secreção no ouvido, saindo sangue e pus, que está triste, parado, quieto, sem apetite. É o puro descaso.

    Tenho visto que um grande fator que tem causado miíases aqui em Florianópolis são os problemas dermatológicos (sarnas, dermatites, micoses). Estes problemas ocorrem e ninguém trata, ou tenta tratar erroneamente. Formam-se feridas e vêm então as varejeiras e fazem o seu trabalho. Afinal, as varejeiras precisam continuar a sua espécie, não?

    E outro fator importante, é o saneamento básico da cidade. É uma pena ver aqueles bairros onde o esgoto corre pelas ruas. É claro que isto favorece as moscas, além de que favorece as dermatites, o que acaba resultando em miíases.

    Atendi a um outro cão com miíase no olho. Para chegar naquela situação, houve muito descaso. A miíase prejudica o olho, causa secreção exagerada com pus, o animal sente dor, coça os olhos, fica irritado, diminui o apetite. E ninguém percebe?

    Entendem? A bicheira é fruto do descaso, do descuido com os animais.

    É claro que dentro disto, há outro fator, que são os animais de rua, que podem apresentar feridas e depois miíases, sem ninguém para cuidar. Mas é por esse motivo mesmo que a COOBEA vem há anos realizando castrações. Para diminuir o número de cães nas ruas, suscetíveis a todas as doenças, inclusive a miíase.

    Tirando os cães que têm proprietário descuidado, a maioria das miíases que atendo são de cães errantes, sem dono. Tento ajudar no tratamento, mas estes cães precisam de cuidado diário, de limpeza diária da ferida. A cicatrização após tirar a miíase é relativamente rápida, mas precisa de cuidados posteriores.

    Portanto, se as pessoas vêem um cão na rua com miíase, não basta que liguem para a COOBEA e se ausentem da situação, precisamos que ajudem o cão a se curar. Ajudem, colaborando com a medicação, com a limpeza da ferida. Deste modo o cão poderá se recuperar e você ganhará mais um amigo, que com certeza sabe como te agradecer de verdade!

    As fotos abaixo estão em tamanho reduzido porque são muito chocantes. Quem tiver coragem e quiser vê-las melhor, basta clicar em cima para que sejam ampliadas.

    As fotos da Rotweiller eu recebi da Shalma, da APRAP. A cadela foi resgatada nesta quarta-feira, 15/4, amarrada dentro de uma casa abandonada.

    As fotos da fêmea são de autoria da Shalma e as do outro animal, do veterinário Jamil.

    Categoria: Cão Terapia, Colunas Jornal Notícias do Dia, Denúncias, Entrevistas, Saúde, Textos favoritos, Veterinários
    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    203 Comentários:

    1. Priscila disse:

      6 de abril de 2014 às 22:10

      Olá, resgatei um cachorrinho num matagal próximo a minha casa certa vez. Ele latia, nos ficamos intrigados pois achamos se tratar de um animal de alguma casa vizinha, pois em torno da área onde o cão estava há varias casas e por isso pensei que poderia ser de alguém que viajou…como o latido continuou e teve o som que foi se modificando, fiquei mais preocupada e intrigada e resolvi entrar na mata com meu marido para ver se nao era algum animal com problemas…infelizmente era. Recolhemos o bichinho e levamos para casa. Enquanto eu ligava para algum veterinário da lista telefônica meu marido observou uma bicheira na pata, então o levamos ao veterinário. Quando o veterinário o examinou, estava com bicheira na boca (muito mesmo), no anus…fiquei chocada e pedi que o medico fizesse o que fosse possível para cura-lo, mas ele disse que precisaria sacrificar pois achava que ele nao resistiria e que estava sofrendo muito. Ele já nao ficava em pé … Até hoje rezo e penso nesse bichinho. Queria ter entrado no mato antes para tirar ele daquele sofrimento, mas entrei só no quarto dia. Antes fiquei achando que o latido era de alguma propriedade e nao confiei nos meus instintos…queria saber se realmente um cão com bicheira no anus, boca, pata e que nao fica em pé realmente precisa ser sacrificado ou se poderia ter sido salvo se o veterinário medicasse….muito obrigada e desculpe o e-mail longo

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        6 de abril de 2014 às 22:41

        Priscila, um dos meus maiores traumas foi uma cadela com bicheira na pata que recolhi e que mesmo tratada morreu agonizando na minha frente horas mais tarde. Infelizmente, às vezes não há mais saída mesmo e a eutanásia acaba sendo um alívio. :(

      • Amauri Benedito Gritti disse:

        7 de abril de 2014 às 00:08

        Essa resposta jamais poderá ser respondida, pois o tal veterinário optou pela ação mais fácil “MATAR”, porém, embora eu tive uma cadela idosa muito idosa que foi detectada uma anemia profunda por causa da idade e mesmo fazendo todo o possível incluindo transfusão de sangue, isso mesmo, transfusão de sangue a mesma veio a falecer, mas note que a 1º opção da veterinária foi “TENTAR” e não “MATAR”.

    2. michelle disse:

      3 de abril de 2014 às 15:02

      Boa tarde, eu tenho um basset q está com esta maldita bicheira, tem um buraco grande e mais 3 pequenos, se agravou pela dificuldade de comprar os remédios, ontem consegui o capstar e o mata bicheira, o comprimido ele só engoliu metade ontem, quando passei o mata bicheira, caíram muitos, hoje dilui bem o remédio na água e dei com a seringa e continuo passando o mata bicheira, quase não tem caído bichos, mas vejo q ainda tem por dentro, como o buraco é fundo não consigo retirar, ele passou a noite toda e hj pela manhã toda vomitando, não quer comer nada, estou dando soro caseiro e fazendo sopinha e dando com a seringa, mas pouco ele come, quero muito salvar ele, mas como tirar os bichos q não consigo? como salvar meu bichinho? quantos dias devo dar o capstar? como vou saber que ele está curado? não estou conseguindo levar ao veterinário

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        5 de abril de 2014 às 21:22

        Michelle, estranha essa reação de vômitos dele, isso realmente precisava ser visto por um veterinário… Tem veterinário que defende dar um comprimido de capstar de acordo com o peso do animal (pois a medicação é dada por tamanho/peso) por 3 dias seguidos. Tem veterinário que diz que bastaria um comprimido… como no caso do teu cão ainda há larvas, que tal dar mais uma dose pelo menos? Se ainda houver larvas, você dá a terceira dose uns dias depois.

        O spray mata bicheira NÃO é indicado, pois elas precisam sair e não morrer dentro dele (que é o que spray faz, só mata). Leia o texto e os comentários com atenção, há várias dicas para te ajudar. Só que se ele pudesse ser consultado por um veterinário seria ótimo, pois pode estar no estágio de precisar de antibiótico.

    3. nathalia karolin disse:

      3 de abril de 2014 às 09:49

      Ola! Meu cachorro é recém nascido e apresentou larvas na pata , entrei em desespero por não saber o que fazer , é um buraco fundo e fino, retirei 2 larvas do buraco e passei uma pomada, já está cicatrizando mais o meu medo é de ter mais larvas dentro! Me ajudem e diga um remédio :(

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        3 de abril de 2014 às 17:46

        Nathalia, leia o texto e os comentários com atenção, tem tudo aqui bem respondido. Procure um veterinário também, o quanto antes.

    4. Márcia disse:

      31 de março de 2014 às 23:51

      Achei essa resposta na pesquisa que fiz a respeito do sangramento do meu cachorro. Não sei se faz sentido, já que ele nunca cruzou e não é castrado. Copiei aqui para você analisar… “O penis do cão possui uma estrutura cama de “bulbo peniano”, essa estrutura se assemelha a um caroço, na base do penis, no momento da cruza essa estrutura se enche de sangue e acaba prendendo o penis dentro da vagina da cadela, na tentativa de se soltar eles acabão ficando de costas um para o outro.
      Apos a ejaculação o sangue sai do menbro, diminuindo assim o tamando do bulbo, ocasionando a liberação dos animais.
      Esse mecanismo e importante pois pertmite q o semem do cão seja totalmente recebido pela cadela.

      Isso pode estar acontecendo pelo fato de ele estar vendo cadelas na rua.Isso normalmente aconteçe com cachorros não castrados, e isso pode significar que o castramento foi mal feito.” ESSE É O LINK : https://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20140225151256AASc5wo

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        1 de abril de 2014 às 11:35

        Querida, se ele não está cruzando com ela, não faz muito sentido, não. Vais castrar os dois ou ao menos ela, né?

    5. Márcia disse:

      31 de março de 2014 às 23:43

      Oi, tenho um poodle de 6 anos, ele nunca cruzou, só “namorava” com um urso de pelucia. Recentemente adotamos uma SRD de 2 meses. Depois que ela chegou em casa ele apresentou sangramento pelo pênis, alguns pingos lá e cá e quando urina. Ele ficou muito estressado com ela, pois ela brinca(como todo bebê)…e ele é calmo e comportado. Levei-o ao vet. e fizemos ultrasonografia, exame de sangue e bioquimico, na ultra apareceu bexiga estendida, no exame de sangue uma infecção e no bioquimico também, porém no restante tudo normal. Ele se alimenta normalmente, bebe água…enfim, o vet passou maxicam, transamim, infactrim, e vitamina c. Já se passaram 10 dias desde que começamos com a medicação, o sangramento parou por 3 dias e voltou. Percebemos que ele sangra quando fica por algum tempo próxima da cadelinha, se fica no mesmo quarto, etc. O vet pediu para que nós os mantivessemos afastados um do outro, o que de fato resolveu por 3 dias, quando ficam p´roximos o sangramento volta. O que será?

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        1 de abril de 2014 às 11:34

        Oi Márcia, será que ele não está montando nela para demonstrar dominância e, com isso, machucando o pênis? Que tal castrá-lo? Será que não tem nenhuma chance de ser algum tipo de câncer? Não sei opinar neste caso, querida… O ideal talvez fosse vc procurar outro veterinário, para ter uma segunda opinião, pois pode ser algo grave que não foi diagnosticado mesmo com tantos exames. Enquanto isso, eu daria água de coco pra ele, pois é ótima para problemas urinários.

    6. livia disse:

      31 de março de 2014 às 16:52

      Olá, estou precisnado urgente de uma ajuda, eu cuido de alguns cachorros na rua e um deles teve bicheira no ouvido, já dei vários capstar, antiflamatório e a alguns dias antibiótico que de cabeça não lembro o nome agora, mas o buraco não fecha, ah e passo todo dia unguento nele por causa da mosca, mas o buraco está lá e ainda sai secreção verde, o antibiótico dei 4 dias, não dei mais porque achei ela meio fraco depois do remédio. Ele é bem velho e o dono colocou na rua por isso, não tenho condições de levar ao veterinário e faço o que posso, a moça da pet shop que conheço falou para eu dar amoxilina ou cefalexina mas não consigo a receita pra comprar. Minha pergunta é: posso dar quantos dias a mais direto o capstar e qual antibiótico posso dar para fechar esse buraco?

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        1 de abril de 2014 às 11:23

        Oi Livia, não é possível comprar antibiótico sem receita e NUNCA recomendo dar um remédio tão sério sem falar com um veterinário, pois se usarmos o antibiótico errado vamos piorar a situação ao invés de melhorar. O ideal seria prenderes este animal durante o tratamento. Essa secreção verde realmente preocupa, mas infelizmente não posso te ajudar com isso, teria que ser um veterinário mesmo ou no máximo uma protetora com MUITA experiência, pois estas pessoas tratam tantos animais que conseguem ajudar em casos assim. Você leu a dica do açúcar para ajudar na cicatrização? Creio que se ele ficar preso em um ambiente sem moscas e com cuidados diários, ficará bom logo, mas realmente precisas ver a questão do antibiótico correto, ok? Beijo e boa sorte pra vcs.

    7. Patricia disse:

      23 de março de 2014 às 12:31

      meu cachorro estava com um infecção na boca,esta terminando de cicatrizar,ante ontem dei banho tosei ele quando foi ontem ele estava com a boca inchada quando eu olhei!
      esta com bichos larvas meu Deus o que eu vou fazer quase dez anos com ele.

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        23 de março de 2014 às 23:50

        Patrícia, por favor, procure um veterinário com urgência. Leia o texto e os comentários com atenção, pois vão te ajudar no tratamento.

    8. Darkylyane da conceiçao silva disse:

      19 de março de 2014 às 15:04

      oi,minha cadela esta pondo uma secreção branca pela vagina,e eu não sei oque fazer sera que ela esta com bicheira,interna isso é possível? o problema é que não tem veterinário onde eu moro e nem na cidade mais próxima o que eu faço por favor me ajudem.

    9. Ane Caroline disse:

      11 de março de 2014 às 12:20

      Eu tenho um rottweiler que está com miíases no rabo. Percebi a ferida a uns três dias atrás e hoje ela já está bem maior, mesmo após aplicar spray mata bicheira. Como ele é muito “ranzinza” não sei se vou conseguir leva-lo ao veterinário, pois ele reclama até quando eu tento limpar e aplicar o medicamento, além de não ter nenhum veterinário aqui na minha cidade que atenda em casa. Será que consigo cura-lo em casa mesmo com os tratamentos indicados na entrevista?
      Pelo fato de não conseguir tirar todas as larvas, será que o Capstar é suficiente para que ela morrão?
      Posso usar algum medicamento para que o cachorro fique mais calmo e facilite o tratamento?

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        11 de março de 2014 às 19:52

        Ane, o spray neste caso é o pior que poderias fazer no momento. Faça o que o texto diz e leia as dicas também, inclusive sobre como limpar, as dicas do açúcar etc. O Capstar vai matá-las e fazer com que vão caindo. Lave a ferida injetando o que você decidir (há várias opções nos outros comentários) com uma seringa, vai ficar menos pior pra ele. Pra acalmar, não sei de nada e dopar o cão só piora.

    10. andre disse:

      5 de março de 2014 às 00:25

      ola estou com um problema com o meu Border Collie ela pegou bicheira na vagina
      …. quais os produtos possuo usar para começar a tratar esse prolema …. fui numa loja de agropequaria eles e fala ro sobre uma injerçâo paar matar as larvas e usar aquele spray prata so que eu nao sei com antibiótico eu posso usar nela … muito obrigado pela atenção de vcs

      ANDRE

    11. Eliana disse:

      23 de fevereiro de 2014 às 02:22

      Olá, adorei a materia, mas ainda tenho uma duvida. Minha cachorra passou uma semana na chacará e retornou sexta,estava lambendo muito o rabo e com cheiro forte e sangrando, levei ao veterinário ontem e descobri q estava com bicheira. A veterinaria sedou, retirou as larvas e passou varias medicaçoes,inclusive o capstar,estou seguindo direitinho, mas minha preocupação é com relação as larvas que estão vivas e saindo do ferimento. E se a minha cachorra come-las eqto eu não estiver vendo?e como mato estas larvas que estão caindo ainda vivas? minha cachorra está com a coleira protetora, mas continua com acesso ao chão, onde as larvas estão caindo.
      Agradeço desde já sua atenção,

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        27 de fevereiro de 2014 às 14:56

        Oi Eliana, não tem problema ela comer. É nojento e tal, mas mal não faz, querendo ou não, são só bichinhos e proteína pura (eeeca!). Nas vezes em que limpei cães com bicheira eu botava as nojentas num pote com álcool e depois é só dar descarga. Faço o mesmo com carrapatos também.

    12. jaqueline disse:

      12 de fevereiro de 2014 às 23:12

      obrigada por responder o buraco perto do olho esta se fechando não consigo fazer a limpeza pois tem algumas larvas mortas retirei oque pude e passei mais mata bicheira ele ja parou de se esconder já voltou ao normal eu dei apenas dois comprimidos de capstar devo dar mais eu não vejo sinais de larvas se mexendo como sei que esta curado obrigada

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        16 de fevereiro de 2014 às 11:16

        Jaqueline, só repita o Capstar se daqui a uns 3 dias ele ainda estiver com larvas, ok? Cuidado com tudo o que passares, pois pode afetar o olho dele. Só estará curado quando cicatrizar. Tente lavar com água e passar o açúcar com a pomada cicatrizando (veja respostas anteriores).

    13. Laura disse:

      12 de fevereiro de 2014 às 09:28

      Estou muito satisfeita com a orientação passada, pois minha cachorra teve um problema inicial de bicheira, tratei e achei que estava curada, tive muito trabalho e estou em stress profundo, pedi férias e tive que preparar tudo para poder sair e não tive tempo de olhar de novo, de férias comecei a ver que ela estava esquisita, se escondendo, não queria mais sair de casa, ao dar o banho é que vi um buraco com os vermes em cacho muito arrumadinhos comendo ela no cotovelo da pata, passei um dia inteiro tirando larvas, dei o capstar, limpei o máximo, no dia seguinte mais larvas, limpei de novo e dei capstar de novo, hoje esta melhor mais vejo que ainda tem larvas profundas, me tinham dito para colocar creolina, óleo queimado, etc, mas tenho feito a assepsia com agua oxigenada, lavei com agua e sabão de coco, pois ela é muito peluda e fica empapado daquela água de sangue, estou mantendo ela dentro de casa pois moro em área rural e ela costuma se enterrar num buraco na terra por causa do calor, hoje vi que vai outro capstar e comecei a dar antibiótico, tentei dar guela abaixo e não consegui, vou comprar a salsicha que funciona muito para camuflar o comprimido, mas não tem jeito, tem que levar ao veterinário, ela ontem ficou enjoada com o capstar. Puxa se não fosse o esclarecimento passado nos outros casos eu ia colocar a creolina. Muito obrigada, um bom dia, depois conto como ficou, será que não vai precisar dar pontos? o buraco esta muito grande e profundo.
      Laura

    14. jaqueline disse:

      11 de fevereiro de 2014 às 22:36

      meu cachorro ta com bicheira comprei capstar e mata bicheira e perto do olho ja tinha um buraco vi na segunda passei o dia observando hoje atarde quando fui passar o remedio notei as larvas mortas oque devo fazer sei que o certo e levar no vet mas estou sem condiçoes me ajude obrigada

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        12 de fevereiro de 2014 às 14:50

        Jaqueline, o local da bicheira é muito complicado. Por favor, lave apenas com água filtrada ou água BORICADA, não use oxigenada ou nada assim! Leia a entrevista e os comentários com atenção, tudo que você precisa está aqui.

    15. Nathalia disse:

      11 de fevereiro de 2014 às 18:26

      Olá
      Uma cachorra aqui perto de casa deu cria e 4 dos oito desenvolveram bicheira no umbigo, dois já morreram por que quando vi já estava em estágio bem avançado. Sobraram dois que dei banho de creolina(dilui bem em água) e retirei as larvas, e o buraquinho está quase fechado, porém a cachorra acabou rejeitando eles e eu trouxe pra casa. A pouco dei o capstar mas ele reina bastante e é muito novinho( 8 dias ) e não está se alimentando direito(estou dando leite normal mesmo, mas sem lactose), não tem veterinário na minha cidade só uma agropecuária, não sei mais o que fazer!!

    16. kariny disse:

      5 de fevereiro de 2014 às 19:23

      Boa noite tenho dado banhos toda semana em meu lhasa apso de cinco anos, cortei os pêlos, mas os carrapatos não somem, aparecem sempre, tiro com pinça de tres em tres dias. Hoje dei banho e coloquei creolina na água, até aí tudo bem, mas quando fui penteá-lo tinha tantos ovos de carrapato que pirei comecei a pssar creolina com algodão nas colônias, mas aí minha mão começou a ficar dormente e queimou, corri, dei leite pra ele, bastante, tomei tb, e pensei que poderia fazer mal. Bingo! pois é, corri dei um loooongo banho com sabão de côco, mais leite. Ele parece bem , mas tô preocupada. Será que ele corre o risco de morrer? Tô preocupada, ele quase morreu em 2.012 por causa de uma babésia erlhiquia. Foi horrível. Será que ele está bem? Help!!!!!

    17. DORIS serodio disse:

      31 de janeiro de 2014 às 10:29

      Bom dia.
      Encontramos um cachorro na rua que esta na situação da foto da cachorra mandada pela shalma,bicheira na cabeça, aqui a cidade é pequena e no momento não ha veterinários, a bichireira comeu boa parte da cabeça dela, passamos lepside, e ivomec injetavel, hj a agropecuaria fez um anti-inflamatório, gostaria o que podemos fazer, como não ha veterinário, ele melhorou esta comento e se levantando.

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        3 de fevereiro de 2014 às 23:44

        Oi Dóris, leia o texto e os comentários com atenção. Todas as dicas estão aqui. Cuidado com o ivomec, por favor. Mata a bicheira e o cachorro junto. É péssimo para o fígado.

    18. Luciana disse:

      20 de janeiro de 2014 às 17:53

      OI MEU CÃO TEVE BICHEIRA NO PENIS E O LEVEI NO VET ELE FEZ A LIMPEZA MEDICOU E PASSOI CEFLAXINA DIPIRONA E PEDIU PARA PASSAR UNGUENTO AO REDOR DA FERIDA ELE ESTAVA MELHOR MAS DEPOIS DE 10 DIAS O PENIS DELE VOLTOU A SANGRAR NÃO SEI O QUE FAZER TENHO O SPRAY MATA BICHEIRA EM CASA MAS NAO SEI SE POSSO APLICAR NO PENIS DELE NAO ENCONTREI NENHUM VET PARA FAZER O ATENDIMENTO E ESTOU MUITO PREOCUPADA.

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        22 de janeiro de 2014 às 23:35

        Mas as larvas voltaram? Por favor, bote aquele cone na cabeça, ele deve estar lambendo! Leia com atenção os outros comentários e a entrevista para pegar outras dicas, ok? Você deu CAPSTAR pra ele?

        Dicas para cicatrizar>
        – lavar a ferida com uma solução de 50% água e 50% água sanitária (usado na guerra para lavar soldados feridos)
        – impedir que o animal lamba o local (fundamental!)
        – aplicar babosa e/ou própolis diariamente
        – uma amiga indicou o Fitofix gel, disse que usou com MTO sucesso http://organnact.com.br/produto.php?cod=59&t=fitofix-gel

        • Luciana disse:

          1 de fevereiro de 2014 às 20:32

          AS LARVAS NÃO VOLTARAM, E SEMPRE QUE VEJO SANGRAR LAVO COM UMA MANGUEIRA, NÃO DEI CAPSTAR A ELE, VOU COMPRAR E MEDICÁ-LO,FICO COM MEDO DE SER ALGUMA INFECÇÃO ELE HAVIA PARADO DE SANGRAR, MAS HOJE VÍ PINGOS DE SANGUE NO CHÃO, LAVEI NOVAMENTE NÃO VÍ NENHUM SINAL DE LARVA, PRECISEI VIAJAR E DEIXEI ELE AOS CUIDADOS DE UM VETERINÁRIO QUE NÃO NOTOU NADA ANORMAL NO LOCAL SÓ ME ALERTOU SOBRE UMA OTITE.

    19. Kellen de Castro M. Abreu disse:

      3 de janeiro de 2014 às 20:57

      Boa noite!
      Estava lendo sua entrevista, mas acabei chegando nela por outra razão. Meus pais tinham um vira-lata que virava e mexia passava mal com vômito, diarreia, ficava sem se alimentar direito, meus pais entravam em contato com o veterinário e, como o cachorro só comia ração e não apresentava outro sintoma , prescrevia um remédio para esse vômito e/ou essa diarreia. Esse cachorro foi internado muito mal, sem conseguir se alimentar e nem latir antes do Natal, o médico suspeitou daquela infecção que acontece nas glândulas salivares ( esqueci o nome) ele começou a medicá-lo para isso ao mesmo tempo em que enviou um exame para ser feito em BH-MG, já que moram no interior. Quando o resultado chegou foi diagnosticado informa e o prognóstico era muito ruim, o cachorro morreu hoje! É o segundo cachorro dos meus pais que morre de algum tipo de tumor! Minha pergunta é se Creolina inalada ou lambida pode causar câncer? Minha mãe usa esse produto há anos e eu sempre achei que era tóxico, o cheiro muito forte, o canil fica com um cheiro muito forte por muito tempo!
      Desde já agradeço a atenção!
      Atenciosamente,
      Kellen de Castro!

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        4 de janeiro de 2014 às 14:43

        Oi Kellen,
        POR FAVOR, PAREM! CREOLINA MATA ANIMAIS, PESSOAS, TUDO! É altamente tóxica, inclusive por inalação. Vai se acumulando no organismo, NÃO TEM antídoto.
        Diz pra tua mãe usar vinagre de álcool puro ou diluído em água (50%/50%) para tirar cheiro de urina, fezes e do que mais quiser.
        Abraço.

    20. Késia Rosa disse:

      2 de janeiro de 2014 às 18:19

      Olá, fomos viajar e o caseiro ficou de levar comida aos cachorros temos 3, um deles é um poodle que tem um tumor na barriga pequeno falaram que não valia a pena mexer pois ela já é bem velinha 13 anos, deixamos pois aparentemente não incomodava, mas agora quando voltei vi que ela estava com um cheiro muito forte, fui ver e no tumor tinha um furo, pedi pro meu esposo passar rifocina pois achei que ela tinha machucado, mas ele foi olhar e viu que tinha uma bicheira, dei um banho nela mas não removi as larvas, passei o spray prata antiséptico, bernicida, repelente etc… também vou aplicar o Tanidil, mas preciso todo dia remover as larvas ou elas podem ficar mortas secas?

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        3 de janeiro de 2014 às 18:56

        Késia, mas por que não levar a cadela ao veterinário? Ela precisa de cuidados e de limpeza diária da ferida. Leia os outros comentários.

    21. eliane disse:

      17 de dezembro de 2013 às 01:10

      Meu rottweller está com bixos na barriga levei na veterinária e ela só
      Aplicou injeção e receitou antibióticos mas não procedeu com limpeza…ou
      Seja não extrai nenhuma larva …já tem 4 dias e não melhorou nada…acho q e oq ela não fez a retirada das larvas..está correto ela agir assim?

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        18 de dezembro de 2013 às 11:35

        Eliane, ESTÁ SUPER ERRADO, a limpeza tem que ser feita TODO SANTO DIA! Ela deve ter aplicado ivermectina pra matar as larvas e deu antibiótico pra combater infecções. Você mesma pode cuidar dele com as dicas do texto e dos comentários, leia todos! Continue com o antibiótico e dê o Capstar. Limpe urgentemente e todos os dias! Podes lavar com água normal e água sanitária usadas em proporções iguais, essa mistura era usada até em soldados na guerra e é ótima.

    22. André Luiz disse:

      11 de setembro de 2013 às 22:59

      Meu cão foi detectado com a doença do carrapato, o veterinário prescreveu 300mg de doxiciclina a cada 12 horas durante 28 dias, 12 ml Energy Pet a cada 12 horas durante 30 dias e Eritros, 1 comprimido a cada 24 hs durante 30 dias, depois de 25 dias de tratamento as plaquetas dele estavam em 173.ooo, quando começou o tratamento estavam em 151.ooo, onde o mínimo exigido é 175.000, retornei ao veterinário e o mesmo recomendou que continuasse o tratamento por mais 15 dias, porém, ele ( o Cão) apresentou sangramento no pênis, foi verificado que o sangramento não era do canal urinário e sim de um pontinho parecendo sangue pisado e somente sangra quando o pênis enrijece, e isto ocorre quando o cão está brincando, eufórico ou quando faz “festa” quando brincamos com ele, foi feito ultrasson onde não deu alteração alguma, e tbm foi feito outro exame de cultura com lâmina que deu negativo, somente acusando processo inflamatório, o vet passou um anti inflamatório chamado meloxivet 2mg, sendo 2 comprimidos no 1º dia e 1 e 1/2 no 2º e 3º dia, mas não melhora o sangramento, suspendi por conta própria o tratamento com os demais medicamentos que eram para tratar a doença do carrapato, ou seja, dos 15 dias a mais que o vet mandou tratar, continuei apenas até o 6º dia, pois, eu desconfio que possa ser efeito colateral da doxiciclina. Gostaria de saber o que pode ser? Câncer já foi descartado, saco escrotal normal. Estou achando que os médicos da clinica estão tão perdidos quanto eu, já gastei mais de R$ 1000,00 no tratamento e o meu cão ainda encontra-se com o sangramento e já estou ficando sem recursos para trata-lo, se ele não curar logo terei problemas para salva-lo. Por favor se puder me ajudem, pois, terei ainda de fazer novo exame de cultura com lâmina e novo exame de sangue completo, só ai serão gastos mais R$ 450,00 fora os remédios que virão depois desses novos exames. Obrigado!!!

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        17 de setembro de 2013 às 01:05

        Oi André,

        Auto-hemoterapia! Corre pra ela! http://www.maedecachorro.com.br/category/auto-hemoterapia
        Vai ajudar a questão da anemia. Eu não pararia com o Eritros. O tratamento da doxi está correto também. Agora esse sangramento, realmente… não sei o que dizer. Não entendi o absurdo do valor para os exames de sangue. Onde vc mora? Vamos tentar achar outro vet pra vc! Enqto isso, pegue todos os resultados dos exames, anote tudo que está sendo feito, ok?

        • André Luiz disse:

          27 de setembro de 2013 às 13:05

          Oi! moro em Salvador – Ba.
          Um dos veterinários identificou que houve rompimento de uma artéria no pênis do meu cão, o vet quer fazer uma calterização com bisturi elétrico e castrar o animal, já que o sangramento ocorre quando o cão fica ansioso, alegre, brincando ou seja, em qualquer estado de excitação, perguntei ao mesmo se com este procedimento ele ficaria bom, mas, os médicos disseram que não tinham certeza, pois em cinco anos de clinica, mas cinco anos de estudos nunca viram um caso como este, então o médico me encaminhou para seu professor que atende em um hospital da universidade Unime.

      • cristina disse:

        21 de novembro de 2013 às 19:03

        Olá. Meu cãozinho, um lhasa-apso tb desenvolveu esta doença. Tratamos com azitromicina, p/o sangramento, usamos Transamin(sem o qual, ele teria morrido, pois sangrava narina, bôca, urina, ânus,etc), desidratou, vômitos intermitentes, resistentes a plasil e dramin…sofrimento, pois quase morreu…feriado, eu e a veterinaria no fone…puncionei acesso, hidratei, (sou téc.enfermagem).Passei noite acordada, cuidados intensivos e graças a Deus e a queridíssima Dra.Cristiane da clínica Cãofolia de Diadema, meu bebê está aqui ao meu lado.(obs. quando conseguiu comer, dei muito fígado).

    23. Gisele Rodrigues disse:

      29 de agosto de 2013 às 19:28

      A alguns meses atrás encontrei um cachorro em frente a minha casa perdido, resolvi ficar com ele agora estou reparando que no penis dele sai um pus e ele fica lambendo que remédio eu dou a ele?

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        30 de agosto de 2013 às 09:09

        Gisele, procure um veterinário. É necessário saber se ele está com alguma infecção urinária. NUNCA medique seu cão sem passar por consulta quando não tens um diagnóstico.

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados