• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    O Hitler em cada um de nós

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 1 de setembro de 2008

    Acredito que nenhuma pessoa mentalmente sã gostaria de ser comparada a um dos maiores assassinos de todos os tempos. Não, ele não foi o maior em número, mas mesmo assim virou símbolo mundial de extermínio em massa.

    Pois bem, e o que pregava o sr. Adolf Hitler? Que a raça ariana era pura, a mais pura entre todas, e que tinha o direito e o dever de subjugar o resto do mundo… Só que qualquer pessoa que estude um pouco de história sabe que é praticamente impossível traçar este perfil de pureza. Sempre houve dominação de povos, sempre houve miscigenação, ainda que fosse todo mundo loirinho de olho azul e bochecha vermelha ou de olho puxado etc.

    E os cães com isso?
    Pense um pouco… Existe cachorro realmente puro, ainda mais que a maioria das raças é formada através do cruzamento de várias outras? E outra, existe alguma coisa realmente pura no BRASIL? No país de Macunaíma, do Manifesto Antropófago, da miscigenação libertadora e criativa, falar em raça soa a colonialismo ignorante. Mas o brasileiro sempre teve um deslumbre pelo que é de fora, de preferência de bem longe.

    Por outro lado, percebo também o preconceito de alguns defensores de animais de rua para com cães e gatos de raça. Como se estes tivessem alguma culpa por terem características criadas e catalogadas pelo bicho-homem. Afinal, não são todos cães, merecedores do nosso respeito, cuidado e amor? São, no fim, vítimas de um sistema cruel e que sempre privilegiou somente a raça humana. Dei um documentário sobre cães para minha sogra e dia desses assisti a um pedaço, bem quando diziam lá que os cães dos primórdios têm focinho alongado, como os lobos. Todos os cães de focinho curto são manipulados pelo homem para que sejam melhor aproveitados para esta ou aquela função, não importando o que esta deformação proposital representa de ruim para a saúde dos animais…

    Durante minha vida inteira até 2003 só tive cães sem raça definida, retirados das ruas. Mas se não fosse pelos meus dois cães de raça, comprados de criadores inescrupulosos, eu não teria a menor idéia do terrível e cruel comércio de animais.

    Porque a ignorância não é privilégio de alguns, atinge a todos nós já que é humanamente impossível saber tudo de todos os assuntos. E não saber é ignorar.

    ignorância – do Lat. ignorantia
    s. f.,

    estado de quem ignora;
    falta de saber, de ciência;
    desconhecimento;
    imperícia.

    Foram meus cães comprados que tiraram a venda da ignorância dos meus olhos e que hoje fazem com que eu ajude tantas pessoas a optar pela adoção. Clique aqui e leia aos comentários do post sobre sarna demodécica para ter uma pequena representação dos e-mails que recebo de pessoas dizendo que acordaram para a falta de humanidade e responsabilidade de criadores desonestos e inescrupulosos.

    Vejo o mesmo acontecer com muitas pessoas hoje dedicadas à causa animal ou simples mães e pais de cachorro que abriram seus olhos e agora só pretendem adotar. Mas sem a nóia de ser de raça ou não. Porque se entrarmos nessa, daqui a pouco teremos uma nova classe de cães marginalizados, os de raça pura que tiveram a infelicidade de ser abandonados, número que cresce espantosamente.

    Deixo aqui algumas fotos de animais de raça “pura” – abandonados e/ou resgatados da escravidão que sofriam nas mãos de criadores criminosos (caso da Julieta e dos pastores de Gaspar) – no intuito de lembrar a todos o grande absurdo que é classificar e discriminar VIDA. E também como um alerta a todos que consideram comprar animais e aos que ainda não se convenceram da castração e do quanto ela é fundamental para que cães e gatos não sejam explorados.



    Categoria: Animais de rua, Animais e nós, Textos favoritos
    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    19 Comentários:

    1. Laura disse:

      23 de julho de 2013 às 14:08

      Boa tarde! Estou precisando de uma ajuda urgente!!! Sou de Brasília. Tenho vários cachorrinhos que crio em casa. Uma das cachorras teve dois filhotes, um casal. O filhote macho, ao tomar a primeira vacina teve reações fortíssimas, sofreu muito e quase morreu com Tríade Neonatal. Além das despesas muito grandes nos hospitais veterinários e clínica, tivemos que gastar muito com alimentação especial, exames e remédios pra ele. Agora ele está bem. Mas ocorre que, além dos cachorros tenho dois filhos pequenos, estou desempregada, só o meu marido está trabalhando no momento, desculpe o desabafo… mas estou desesperada, porque acabo de saber que a filhotinha fêmea que parecia estar super saudável, se desenvolvendo bem e feliz está com um problema gravíssimo no coraçãozinho e não temos dinheiro nenhum, estamos muito endividados, e ela precisa de cirurgia cardíaca. Estou mesmo desesperada!!! Amo tantos esses bebês! Vocês teriam alguma dica pra me dar? Sabem de alguma forma de conseguir a cirurgia pra ela? Sabem de algum recurso público
      pra salvar a vida desta bebezinha? Ela precisa da cirurgia cardíaca com urgência, está com PDA – Persistência de Duto Arterioso.
      Tem que ser logo operada, ou vai começar a sofrer até morrer. Preciso de ajuda!

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        23 de julho de 2013 às 14:25

        Laura,
        infelizmente não tenho contatos em Brasília. Por favor, procure ONGs e protetores e, assim que possível, CASTRE todos os teus animais, pois além deles ficarem mais saudáveis e não te darem gastos, pararão de procriar e de te dar mais gastos…

    2. Flavia disse:

      13 de novembro de 2012 às 20:39

      Ooh meu deus
      pq faZ um negocio desses com os bichinhos
      se naum quer mim dar
      Seus*****-****

    3. Maga disse:

      26 de dezembro de 2011 às 02:06

      OI BOA NOITE TENHO 3 FILHAS DE PORTE GRANDE ADOTADAS..SERIAM 4 SE NÃO TIVESSEM JOGADO VENENO NO QUINTAL..aGENTE FALA FALA FALA MAS NA VERDADE ESTAMOS DE MÃOS ATADAS..PORQUE A JUSTIÇA DAQUI SINCERAMENTE ANIMAL NENHUM MERECE……..se ainda não tiveram essa curiosidade entrem em sites de compra e venda e deem uma olhada no estado das femeas dos anuncios de criadores inescrupulosos…
      …que peCado eles filmam segurando a femea as vezes forçando o macho aqueles risos falação dos caras…quase vomito ( vejo como estupro )
      gente podre..nojenta..malvada ahiiii qui ódio…. ALGUMAS PESSOAS FALAM…MAS PORQUE VOCE FICA ASSISTINDO E VENDO ESSAS COISAS ??????? pORQUE O FATO DE EU NÃO VER…NÃO QUER DIZER QUE NÃO EXISTE…DIA 31 DE DEZ VAI FAZER 11 ANOS QUE NÃO COMO CARNE DE NENHUMA ESPECIE…TO VIVA E FORTE PRA DEFENDER ESSA CAUSA…LOGICO QUE ANIMAIS DOMESTICOS DOI MAIS..TEMOS MAIS AFETO….MAS…NINGUEM NINGUEM MESMO TEM O DIREITO SOBRE A VIDA DE NENHUM SER..aLGUEM JA ASSISTIU COMO SÃO ABATIDOS OS ANIMAIS NAS INDUSTRIAS PARA CONSUMO ??/ SE NÃO VIRAM DEVERIAM……mESMA COISA A DISCRIMINAÇÃO DE PIT BULLS MINHA ULTIMA ADOÇAÕ É UMA PIT BUL QUE ESTAVA INDO PARA O CCZ…E QUEREM SABER ///ELA É A DOCURA COM QUATRO PATAS…cOMPANHEIRA ..OBEDIENTE…CALMA COMO AS IRMÃS …NUNCA LEVANTEI A MÃO PRA NENHUMA DAS MINHAS PRECIOSAS ..ELAS NEM IMAGINAM O QUE SÃO COLEIRA E CORRENTES SÓ NÃO FICAM DENTRO DE CASA PORQUE MINHA MÃE NÃO GOSTA E TAMBEM PORQUE COMO JA DISSE SÃO GRANDES..AS VEZES ELAS FICAM COMIGO ASSISTINDO TV…SEPAREI COM UM MURINHO A LAVANDERIA E O QUINTAL É TODO DELAS….mAS É CLARO ELAS NÃO VÃO FICAR RINDO P ESTRANHOS COM O MEU TOTAL CONSENTIMENTO….SÃO MUITO AMADAS COMO TODOS OS ANIMAIS DEVERIAM SER…..gENTE EU FUGI UM POUCO DO ASSUNTO ME PERDOEM MAS, HOJE EU OUVI TANTA MER..POR CAUSA DELAS…AS PESSOAS TORCEM PRA QUE ACONTEÇA ALGUMA FATALIDADE SÓ PRA ELES DIZEREM QUE ESSAS RAÇAS SÃO ASSASSINAS……..ME REVOLTO COM TANTA INJUSTIÇA …ME PERDOEM MAIS UMA VEZ….BJU E OBRIGADO PELA OPORTUNIDADE DE PODER SIMPLISMENTE FALAR………

    4. Omelete de Amoras disse:

      6 de outubro de 2011 às 13:40

      Adorei o post. Eu sou mãe de duas cachorras de raça e já sofri preconceito por isso. Sempre fui à favor de viras (na casa da minha mãe só tivemos viras desde sempre), mas moro em apartamento e fiquei com medo de adotar um cãozinho que pudesse ficar muito grande. Então depois de muito pesquisar, escolhi comprar uma York (ainda procurei bastante, para não comprar um filhote muito pequeno, porque sei dos problemas de saúde ligados ao tamanho diminuto que os criadores tanto valorizam). Ainda filhote, a pobrezinha começou a apresentar várias falhas nos pelos. A sorte foi que nós tínhamos um excelente veterinário que diagnosticou corretamente e indicou um tratamento mais natural, para melhorar o sistema imunológico, ração premium (eu não conhecia a alimentação natural) e pomadas. Ele disse que o tratamento seria mais longo, mas seria o melhor para ela, porque remédios fortes poderiam diminuir ainda mais a imunidade. Enfiam, foram vários meses de muito cuidado. Passando pomada duas vezes por dia, indo ao retorno no veterinário toda semana, de modo que ela não chegou a ficar tão feia. Apenas com falhas nos pelos e uma descamação estranha. E hoje ela é contente e feliz, com sua irmã mais nova que é maltês.
      A história da Maltês já é de grande amor desde o nascimento. Tenho uma grande amiga que mora em uma casa enorme e tem vários cachorros e entre eles um casal de maltês, os quais ela resolveu deixar cruzar para que as crianças (filhos humanos dela) pudessem acompanhar a gestação e o nascimento dos filhotes (junto com a vontade de ser vó desses bichinhos, é claro, rsrs). Como ela também é contra a exploração desses nossos filhos, ela já castrou os pais, adotou dois dos filhotes e me deu a Ayla, que conheço e amo desde a barriga da mãe dela e que é uma excelente companhia para a Nina e completou essa nossa família.

    5. Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

      29 de Março de 2011 às 03:13

      Cachorro é cachorro e é tudo de bom!!!
      Pessoas deveriam agir mais e julgar menos. Se querem ajudar, que o façam de coração sincero, não para jogar na cara depois ou julgar que o cão é assim ou assado, o adotante, cozido ou frito.

      Né, não?
      ;-D

    6. luly disse:

      29 de Março de 2011 às 00:29

      Vamos ser sinceros, dizendo ou não que é protetor, todo mundo ja teve um animal de raça. Eu tenho um Husky Siberiano e uma vira-lata, cães maravilhosos, mas a discriminação com meu husky é sempre grande. Porque eu fui adotar uma vira-lata se eu ja tinha um cão de raça pura? ainda mais um husky, que atrae olhares pela rua? Simples, eu quis.

      Acho que, se quer se protetor, se preocupe com todos. Raça não define nada. São todos cães e gatos na rua abandonados sem terem pra onde ir, e merecem respeito assim como os viralatinhas também. Sou a favor dos cães e gatos de raça? Não, mas também não quer dizer que não tenha passado minha vida toda estudando "raças" de cães.

      Raças, são sim, importantes para algo, claro, muito mais importantes quando eles viviam para ser feliz e trabalhar ao lado do dono, hoje os cães de raça são enfeites mantidos dentro de casa. Você não ve mais no poodle hoje, o caçados que ele era a séculos atrás. De qualquer forma, grande parte desses cães surgiram de cruzamentos de outras raças, então de qualquer modo, mesmo que digam que não, considero o meu próprio husky um vira-lata, só que um vira-lata que acabou ganhando nome.

      Vira-latas, assim como os cães de raça são discriminados, é verdade. Passo isso com meus dois cães. Como uma vez me perguntaram: Nossa, sua cachorrinha é filha do seu husky? Ela parece muito com ele. Apenas pelo simples fato de minha cadela ter o mesmo porte que ele, os olhos verdes e o pelo semi-longo, mas respondi que não, ela era mestiça. A resposta da mulher foi: Ah, ela é vira-lata. Nossa. Deve ser uma lixeira essa sua cachorrinha.
      Vira-latas não são lixos, na verdade, nenhum cão é. Cães não são objetos, eles tem vida, sentem dor e tem sentimentos. Cão não se joga fora, como um movel que estragou.

      Quanto a criadores. Por causa de meu estudo sobre as raças, que vem seguindo desde os meus sete anos(quando ganhei meu primeiro cão de raça, pinscher). Venho também procurando conhecer e descobrir sobre os canis. E, bom, a maioria dos canis não passam de uma vontade enorme de ganhar dinheiro com os animais.Eles só servem pra isso. Outros, felizmente, não vendem os cães por dinheiro, mas por ama-los, conheço vários criadores e sei oque eu estou falando. Dois desses que eu conheci, um deles onde meu husky nasceu, não só vende os filhotes de husky, mas tem também um cantinho especial no canil, onde os vira-latas brincam pela grama com os huskies e todos os dias são adotados. Acho que, se for para criar cães, que saiba oque esta fazendo e faça por amor.

      Acho que era só isso, sempre quis botar isso pra fora de algum modo, mas nunca soube como.
      Alias, ao vira-latas do mundo inteiro que eu amo muito, não se preocupem, vocês estao em primeiro lugar no coração de muita gente. E a minha viralatinha, parabenizala pela incrivel aptidão no agility, apenas com sete meses e ja deixando queixos caídos.

      Obrigada

    7. CATIZO disse:

      3 de julho de 2010 às 15:21

      Izolina Ribeiro O texto da Ana Corina corrobora e muito algumas coisas que tenho observado últimamente.
      Por ocasião da mega operação feita naquela praça da Lapa aqui em SP,em que houve apreensão dos filhotes dos criadores, senti um movimento no sentido de dizer que os bbs que tinham sido apreendidos estariam atrapalhando a adoção dos …srds. Havia em algumas mensagens o indício claro de que ao invés de vitímas eles seriam algozes por estarem atrapalhando a divulgação e adoção dos sem raça. Isso é no minímo um equívoco quando todos sabem como são criados e vendidos esses filhtotes desse comércio ilegal. Que esse preconceito não ache terreno fértil entre nós protetores, porque isso seria mais uma crueldade para com os que por ventura venham a ser chamados "de raça"…..

    8. Adriana Diniz disse:

      9 de Janeiro de 2010 às 02:19

      Oi, Ana!
      Achei o seu texto interessante e dei uma olhada em alguns comentários, fiquei feliz com a sua resposta em um deles, em ouvir sua opinião. Sabe, vou falar bem baixinho para não ouvirem, eu tenho um cão de raça e que foi comprado! E agora?! Bem, penso que devo cuidar bem dele como qualquer outro cão. E agora eu vou falar um pouco mais alto… O primeiro cachorro que tive na vida foi um vira-lata doado na rua a quem quisesse levar. Bjos!

    9. Ana Corina disse:

      21 de outubro de 2009 às 19:54

      Meninas, vocês são O MÁXIMO! Beijos!

    10. Milena disse:

      21 de outubro de 2009 às 17:34

      Boa Tarde,

      Infelizmente é muito triste ver o que acontece com os animais.
      Sou contra a comercialização de animais. Em Dezembro, passando por uma feira livre vi uma moça doando filhotinhos de cachorro e como meu filho queria muito um, levei-o para casa. O nome dele é Scooby Doo e para falar a verdade é bem parecido com o sccoby do desenho.
      Em Maio/09, no sabado vespera do Dia das Mães, embaixo de uma chuva muito forte, encontrei uma cachorra, da raça Labrador, tentando se esconder no meu portão.
      Coloquei ela para dentro de casa, sequei e devido a chuva que pegou, durante a noite teve febre. Mediquei, cuidei dela e no domingo pela manhã fui a procura de seus donos, pois, não acreditava que alguem abandonaria uma cachorra de raça…. mas, infelizmente ela foi uma das vitimas desse blog.
      Levei-a no veterinario, vacinei, e descobri que ela estava muito debilitada , provavelmente, pelo numero de crias que deu durante os anos que esteve com os "animais" com quem viveu.
      Devido a um problema de descompensação cardiaca, ela não pode mais dar cria, não pode mais dar lucro, então jogaram ela na rua como se fosse lixo.
      Com isso, pude mostrar para o meu filho de 08 anos o porque sou contra o comercio de animais.
      Hoje, tenho dois anjos maravilhosos na minha casa. O meu filhinho Scooby e a minha Estrela.
      SEm contar os tres gatos que jogaram na porta da minha casa e que hoje moram conosco.

    11. Mariana Schneider disse:

      5 de setembro de 2008 às 02:08

      Oi Ana!

      é a Mari, mae da Layka.

      Entao…

      eu acredito que o amor deveria ser independente de tudo, seja raca, credo, cor, tamanho, peso…
      Infelizmente, tal amor incondicional é algo que nós, humanos, ainda nao aprendemos a “executar”. Nós somos seletivos, arrogantes, prepotentes, mesquinhos…

      Eu amo minha vira-latinha mais do que qualquer coisa nesse mundo. Ela é a luz da minha vida, meu anjinho da guarda. E nao seria diferente se ela fosse um pastor, se ela fosse azul, se ela fosse gigante, ou se ela fosse obesa. É a alma dela que me apaixona, a capacidade dela de me trazer alegria depois de um dia ruim, de me fazer rir depois de uma crise de choro, de me fazer sentir amada nos dias mais ingratos e solitários.

      A verdade é que nós temos muito a aprender com nossos amiguinhos. Eles sabem olhar além de tudo (beleza, peso, altura, cor, religiao, etnia) e enxergar apenas aquilo que importa. Enquanto isso, a futilidade impera entre nossa raca. Nós procuramos rótulos para selecionarmos gosto em lugares onde nem deveríamos ver discernimento entre “a” e “b”. É triste.

      Optei por adotar mais dois vira-latinhas nao por “desgostar” de caes de raca, e sim por ter tido uma experiencia EXTRAORDINÁRIA com minha guapequinha, e também por ter muito receio de estimular o mercado de criadores irresponsáveis. Nao por isso gosto menos da Shakira, do Chico, ou de qualquer outro cao de raca que tenho contato. De uma forma geral, fico feliz que eles existam para fazer nossa vida mais feliz com a presenca iluminada deles.

      E torco para que todos, do mais guapequinha ao mais “puro” tenham a vida maravilhosa que eles merecem ter.

      Como sempre, o blog está ótimo. É muito bom estar conhecendo pessoas com uma visao de mundo mais atípica (que no caso dos humanos “típicos”, que pouco se importam com o que acontece além do próprio umbigo, é um elogio) que os demais. Sinto que posso crescer e aprender muito com esses “novos contatos”.

      Grande beijo

      Mari

    12. Ana Corina disse:

      5 de setembro de 2008 às 02:06

      Olá, Cris!

      Você acha que perco o meu precioso tempo pensando no que os outros acham que devo fazer e como? Se fosse assim, eu não tinha nem feito um blog chamado “Mãe de cachorro também é mãe”. Vc não sabe a quantidade de piadinhas que ouço por causa disso, o quanto me chamam de cadela etc. Eu simplesmente ignoro. Quando não dou risada da cara do cidadão.
      Gasto o meu tempo respondendo a e-mails de pessoas que me escrevem do mundo todo, pedindo conselhos, dando parabéns pelo meu trabalho voluntário ou simplesmente contando coisas da vida de seus filhos peludos.

      Sobre a discriminação aos nossos filhos de raça, dou menos bola ainda. Esse povo tem muita língua e só sabe sentar no rabo e apontar o dos outros. Liga não. E pode apostar a maioria já teve, ou ainda tem, animais de raça. O que importa é o que você faz, não o que você exibe fazer.

      Nem nossos salários, nem muito menos nossas vidas ou nossas amizades, dependem da causa animal. Eu, muito pelo contrário, só gasto. Não ganho 1 centavinho e só vejo sair $$$ da conta.

      Não preciso provar nada, nem convencer ninguém de nada. Esse povo que discrimina bicho, e gente, e o diz fazer em nome “da causa” só merece uma coisa: ser ignorado total e completamente.

      Continue fazendo o que podes, sozinha, do teu jeitinho. Quem muito fala, pouco faz! Beijo!

    13. Anonymous disse:

      4 de setembro de 2008 às 20:27

      Oi Ana,

      Achei muito legal o texto sobre raças, com o qual concordo plenamente. Tenho, atualmente, apenas uma cachorrinha “de raça” (adotada), as outras três são vira-latas.

      Mas tem uma coisa que me deixa chateada: o preconceito por parte de alguns protetores com animais “de raça” e com os donos destes. Se é protetor, necessariamente gosta de bicho, se gosta de bicho tem que gostar de todos, não apenas dos vira-latas abandonados.

      Você também é mãe de cachorrinhos “de raça” e deve saber do que estou falando. Talvez não sinta este preconceito da mesma forma que eu, pois você está neste meio, muitos te conhecem, sabem de tudo o que você faz pelos animais (independente das características de cada um). Mas eu sou uma desconhecida e sinto de forma intensa este tipo de discriminação.

      Não se pode generalizar e achar que todo mundo que tem um animal “de raça” só quer status, que eles sempre são comprados e nunca adotados.

      Já tentei me aproximar de alguns protetores para ajudar mais de perto, para me envolver mais nesta luta incansável pelos animais, porém desisti. Prefiro ajudar sozinha, da minha maneira, os animais não merecem sofrer devido à estupidez humana.

      Desculpa pelo desabafo, não é com você, foi só uma maneira de manifestar minha indignação.

      Cris

    14. Anonymous disse:

      2 de setembro de 2008 às 01:42

      O número de histórias deste tipo não param de crescer. Criadores inescrupulosos usam seus cães para procriar e quando os animais não lhes servem mais, ou adoecem, são jogados na rua como lixo. Pra mim o problema não esta só nos criadores, mas na população que, em sua maioria, compra estes animais por pura vaidade e que só valoriza um cão ou gato de acordo com sua raça.
      Infelizmente o preconceito é um hábito humano nas relações com seu semelhante, imagine com os de outra espécie…

      Qto ao preconceito de alguns potetores contra animais de raça, é realmente um absurdo, mas o preconceito da esmagadora maioria da população ainda é contra os pobres viralatinhas…

      bjus
      Li

    15. Ms.Siebert disse:

      2 de setembro de 2008 às 00:21

      oi ana
      otimo post
      repassei pruma amiga q insiste em adotar um yorkie q nunca chega!
      espero q ela se sensibilize!

      eu t aviso!

      beijos
      Mari

    16. Ms.Siebert disse:

      2 de setembro de 2008 às 00:16

      oi ana
      mto bom este texto
      inclusive passei pra frente para uma amiga que quer adotar um yorkie… bom, ja convenci ela de nao comprar, mas ela esta esperando o yorkie q pode nao vir e com um quintalzao e um coracao cheio de amor pra dar vazios pq nao quer preencher com um viras…

      Vamos ver se funciona! Eu t aviso!

      Beijos,

      Mari

    17. Mircea disse:

      1 de setembro de 2008 às 23:22

      Muito bom esse texto, assim mostra que o descaso é geral, os de raça os vira-latas, todos sofrem de maus-tratos!
      Sou totalmente contra esse comércio de animais, são vidas e não mercadorias!

    18. Anonymous disse:

      1 de setembro de 2008 às 14:20

      Excelente este post. Até eu tenho ouvido(inclusive de protetoras) que eu só fiquei com a Lili porque ela é de raça. Que os outros virinhas eu doei e que devia “passá-la adiante” (pode?) também pois cão de raça dá muito trabalho. Idiotas!
      Fabiana

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados